Sem categoria

Caminhos de Santiago – Município de Mortágua

Mortágua é um dos municípios fundadores da Federação Portuguesa de Santiago. O que mudou desde então?

Mortágua esteve, durante largos anos, arredada daquilo que eram os Caminhos de Santiago.

O presente Executivo, adotou uma estratégia de promoção e divulgação do património turístico e cultural do Concelho, ao que aliou o conceito espiritual d’O Caminho, considerando ser oportuno a integração de Mortágua na Rota dos Caminhos de Santiago.

A par de tudo isto, não nos podemos esquecer que existia um vazio entre Coimbra e Viseu, sendo que Mortágua, e os Concelhos adjacentes, como Penacova e Santa Comba Dão, desenvolvem um relevantíssimo papel de ligação e continuidade de um percurso que se encontrava fragmentado e empobrecido.

A integração do Município de Mortágua enquanto sócio fundador da Federação Portuguesa de Santiago, permite que este trabalho seja efetuado mantendo a uniformização e um maior rigor na definição dos percursos.

Como se caracteriza o trajeto de Mortágua? Onde inicia e onde termina? Qual a distância e dificuldade deste troço?

O percurso de Mortágua liga o trajeto proveniente de Penacova a Santa Comba dão. Trata-se de um percurso com cerca de 26,5 quilómetros, que se inicia nos limites da localidade de Vale de Ana Justa, percorre todo o Concelho, indo terminar na povoação de Riomilheiro, com seguimento para o Concelho de Santa Comba Dão.

Trata-se de um percurso linear, bastante acessível e com uma enorme riqueza cultural e paisagística, que permite a passagem por locais de culto, aldeias típicas, fonte de mergulho. Há a destacar as zonas de vinha, assim como as ribeiras que se estendem ao longo de uma grande parte d’O Caminho e que irão deliciar quem nos visita.

Que importância tem o caminho de Santiago para a região?

Estamos convictos de que a Região sofrerá um forte impulso com a passagem de milhares de peregrinos por estas terras.

Ao longo dos últimos anos, tem-se vindo a verificar um aumento do número de visitantes que se deliciam com as maravilhas do Interior.
Aqueles que nos visitam, querem voltar e (re)descobrir mais deste pequeno paraíso, que em nada fica atrás do litoral.

Fazer os caminhos de Santiago é, também, percorrer a história de cada região. Que história há para contar no trajeto de Mortágua?

A história de Mortágua é indissociável das Invasões Francesas. Mortágua tinha uma posição estratégica por constituir um nó de vias onde se entrecruzavam três caminhos que davam acesso ao Litoral Centro, ao Norte e ao Sul. Destaca-se a Estrada Real enquanto percurso importante da travessia das tropas em direção a Coimbra e ao sul.

Também a Lenda do Juiz de Fora, cartão de visita de Mortágua, fará parte do imaginário dos peregrinos, enquanto alusão à revolta de um povo contra a devassidão de uma justiça cega e dualista.

Queremos ainda aproveitar a oportunidade para dar a conhecer e valorizar a riqueza gastronómica do Concelho – a Lampantana, o Bolo de Cornos, os Pastéis do Juiz de Fora -, assim como dar a conhecer os excelentes vinhos com que poderão deliciarem-se.

É uma oportunidade para os peregrinos deixarem as suas estórias e levarem um pouco da nossa história.

Os Caminhos de Santiago são uma forma de promover o turismo no interior do país?

Os Caminhos de Santiago, com o seu trajeto pelos diversos Concelhos do Interior são uma forma de se descobrirem segredos, lendas e histórias deste Interior que, sendo tantas vezes esquecido, tem, no entanto, tanto para oferecer.

Esta e, outras iniciativas, contribuirão inquestionavelmente para um maior conhecimento e uma nova perspetiva relativamente ao Interior.

Os Caminhos de Santiago são uma fonte natural de turismo e promoção do município. Existem ramificações do caminho para levar os peregrinos a outros pontos de interesse do concelho?

Dizia-se que o percurso era onde se encontravam “os lenços dos peregrinos”. Isto é, o que definia o percurso eram as marcas que os peregrinos iam deixando.

Ao longo de todo o percurso, é possível encontrarmos um vasto património religioso, núcleos museológicos, Centro Interpretativo, estando todo o caminho sinalizado com as setas identificativas.

A título de curiosidade, salienta-se a Igreja da localidade de Cortegaça, que devido à passagem dos peregrinos, teve como santo padroeiro, Santiago.

Onde podem os peregrinos pernoitar e recarregar energias para prosseguirem na sua caminhada? Que tipos de apoios ao peregrino existem?

Mortágua tem uma oferta considerável e diversificada de locais para pernoitar, casas de turismo rural, alojamento local, pensões, residenciais e unidades hoteleiras. No entanto, o Município irá converter a antiga Escola Primária de Vila Nova num albergue para peregrinos, onde será disponibilizado todo o apoio e informação para quem visita o nosso Concelho.

A par disso, temos o Posto de Turismo permanentemente disponível, bem como os espaços municipais que estão disponíveis para acolher e ajudar os peregrinos ao longo do seu caminho.

Quais os principais projetos e ambições que existem para o futuro dos Caminhos de Santiago que cruzam Mortágua?

Os Caminhos de Santiago caraterizam-se por um percurso de conhecimento e, decerta forma, cura pessoal.

Mortágua pretende entrar na Rota da Espiritualidade enquanto trajeto de crescimento e introspeção. Estamos certos de que as belas paisagens, a simpatia das pessoas e os inúmeros pontos de interesse com que os peregrinos se irão cruzar ao longo do caminho, irão despertar o interesse para esta zona do País e da Europa, tantas vezes esquecida e merecedora e de atenção, desfrute e visita.

Queremos que este caminho seja um marco, não só no desenvolvimento pessoal de quem calcorreia estes trajetos, mas também um ponto de viragem para que todos se possam consciencializar de que o Interior vale a pena e que a pureza do ar e a beleza das paisagens merecem mais do que uma rápida visita.

Ao longo de todo o percurso, é possível encontrarmos um vasto património religioso, núcleos museológicos, Centro Interpretativo, estando todo o caminho sinalizado com as setas identificativas.
A título de curiosidade, salienta-se a Igreja da localidade de Cortegaça, que devido à passagem dos peregrinos, teve como santo padroeiro, Santiago.

Onde podem os peregrinos pernoitar e recarregar energias para prosseguirem na sua caminhada? Que tipos de apoios ao peregrino existem?

Mortágua tem uma oferta considerável e diversificada de locais para pernoitar, casas de turismo rural, alojamento local, pensões, residenciais e unidades hoteleiras. No entanto, o Município irá converter a antiga Escola Primária de Vila Nova num albergue para peregrinos, onde será disponibilizado todo o apoio e informação para quem visita o nosso Concelho.

A par disso, temos o Posto de Turismo permanentemente disponível, bem como os espaços municipais que estão disponíveis para acolher e ajudar os peregrinos ao longo do seu caminho.

Quais os principais projetos e ambições que existem para o futuro dos Caminhos de Santiago que cruzam Mortágua?

Os Caminhos de Santiago caraterizam-se por um percurso de conhecimento e, decerta forma, cura pessoal.

Mortágua pretende entrar na Rota da Espiritualidade enquanto trajeto de crescimento e introspeção. Estamos certos de que as belas paisagens, a simpatia das pessoas e os inúmeros pontos de interesse com que os peregrinos se irão cruzar ao longo do caminho, irão despertar o interesse para esta zona do País e da Europa, tantas vezes esquecida e merecedora e de atenção, desfrute e visita.

Queremos que este caminho seja um marco, não só no desenvolvimento pessoal de quem calcorreia estes trajetos, mas também um ponto de viragem para que todos se possam consciencializar de que o Interior vale a pena e que a pureza do ar e a beleza das paisagens merecem mais do que uma rápida visita.

Sobre este autor

Direcção IN Corporate Magazine

Adicionar Comentário

Escrever comentário