Atualidade Notícias Saúde e Bem-estar

Cientistas criam vírus que pode ser capaz de matar todos os tipos de cancro

Uma empresa australiana desenvolveu um vírus capaz de, alegadamente, matar todos os tipos de cancro, noticia o jornal britânico Daily Telegraph esta sexta-feira.
Drew Hays @Drew_hays - unsplash.com

Uma empresa australiana desenvolveu um vírus capaz de, alegadamente, matar todos os tipos de cancro, noticia o jornal britânico Daily Telegraph esta sexta-feira.

E, se duvida que um vírus pode combater uma doença, pense duas vezes. Na verdade, a ciência tem vindo a fazer isso há anos e com bons resultados. Repare: uma fórmula modificada do vírus do herpes está a ser utilizada como um tratamento eficaz contra alguns tipos de cancro da pele. A varíola bovina foi uma doença viral que formou a base das primeiras vacinas contra a varíola para humanos.

Os cientistas estão agora a utilizar a varíola bovina como base para um tratamento chamado CF33 para tratar o cancro. Os testes demonstraram que o vírus é capaz de reduzir as células cancerígenas em roedores e agora a empresa Imugene, que desenvolveu o tratamento, está mais perto de testar a fórmula em humanos.

Segundo o professor Yuman Fong, especialista em cancro, “desde o início do século XIX, que há provas de que os vírus podem tratar o cancro, quando as pessoas com cancro foram vacinadas contra a raiva e o cancro desapareceu”, disse ao Daily Telegraph. “O grande problema era que, se se criasse um vírus tóxico o suficiente para matar o cancro, este podia matar o homem também”, continuou.

Sanchia Aranda, diretora do Cancer Concil, na Austrália, confessou ao Daily Telegraph estar preocupada que o sistema imunológico das pessoas testadas crie uma defesa contra o vírus e o destrua antes que ele elimine o cancro. “As células cancerígenas são muito inteligentes e sofrem uma mutação para sobreviver e há uma probabilidade de que evoluam para se tornarem resistentes ao vírus, como fazem agora para se tornarem resistentes à quimioterapia e imunoterapia”, justificou.

Sobre este autor

Jorge Teixeira

Adicionar Comentário

Escrever comentário