Destaque Gastronomia Turismo

Mar à vista… e também na mesa

Tasquinha do Pescador

A poucos passos da praia do Caniçal há um sítio para comer e disfrutar do clima madeirense. Chama-se a Tasquinha do Pescador, e o nome não vem por acaso, por ali, o rei da carta é o mar.

Mais do que simples petiscos, na Tasquinha do Pescador há pratos originais com raízes tradicionais. É um restaurante para qualquer altura do dia – para uma boa refeição, para petiscar, ou simplesmente para beber uma poncha. O espírito pode ser o de uma tasquinha, mas a qualidade vai além do paradigma tradicional que se tem de uma tasca. O espaço é bem decorado, as paredes exibem registos piscatórios da região e a qualidade servida é exemplar. Destaca-se a esplanada, agradável, confortável, ensolarada e com uma leve brisa do mar.

O restaurante foi recuperado por Roberto Marote, que deu uma nova vida ao antigo snack bar do Pescador. A reformulação foi profunda até abrir portas em 2015 com o nome de Tasquinha do Pescador. Sendo o Caniçal “uma terra tradicionalmente de pesca”, foi fácil definir o conceito do restaurante. Na carta onde o peixe é a principal referência, há escolhas para vários gostos. “Temos as lapas, ovas de espadas, os chicharros, camarão alho, as castanhetas e o gaiado seco muito tradicionais da região e temos o atum”, refere o gerente.

De destacar o atum que é servido de várias formas, mas a mais pertinente da carta será à bolhão pato. “São cortados aos quadradinhos, fazemos o molho junto com o atum tipo o das ameijoas à bolhão pato e servimos com batata à murro. Além disso implementamos também o sashimi de atum. Para além do peixe há alternativas de carne e também vegetarianas.”
Para Roberto Marote o maior segredo da cozinha está na frescura do produto: “No peixe fresco não há muito que inventar, quando o produto tem qualidade temos de respeitar o seu sabor”. Para isso, Roberto conta com o Vidinha, um fornecedor local que garante a qualidade e a frescura do peixe que compra.

Antes de terminar uma refeição nada como uma boa sobremesa: semifrio de maracujá, tarte de maçã, tarte de amêndoas, papaia ou abacaxi – todas confecionadas dentro de portas.

Como digestivo, aperitivo ou para refrescar a tarde pode beber uma das melhores ponchas da Madeira. Feita à moda da casa, com lima, é distinta de tantas outras, única, doce e refrescante. Seja pelo peixe ou pela poncha, se for visitar a Madeira, a Tasquinha do Pescador é um dos locais a marcar na sua agenda.