Empreendedorismo Gastronomia

Bons vinhos e a Coreia do Sul ali ao lado

Numa noite em que se provaram os melhores vinhos, acompanhados da melhor gastronomia portuguesa e sul coreana, a Guimarães Marca proporcionou a todas as empresas vimaranenses um contacto próximo com o mercado da Coreia do Sul “francamente em expansão e onde a qualidade dos produtos portugueses é francamente apreciada”.

A Quinta de Castelães, em Guimarães, recebeu no passado dia 20 de fevereiro a 17a edição do Clube Vinhos e Comércio. Uma iniciativa da Câmara Municipal de Guimarães, apoiada pelo E.Leclerc de Lordelo, cujo principal objetivo é “promover o Guimarães Marca e todos os produtos locais de ótima qualidade”.

A edição deste ano teve como parceira a embaixada da Coreia do Sul, “numa tentativa de abrir ainda mais o mercado asiático aos produtos vimaranenses”. Sérgio Gonçalves, Vereador, não tem dúvidas de que “a conferência deste encontro é uma oportunidade para quem ainda não exporta para esse mercado perceber as dificuldades, mas sobretudo as oportunidades, com base nos testemunhos de empresários que já o fazem”. O mercado da Coreia do Sul é um mercado “com potencial e com muita gente disposta a consumir”. Por isso, para o vereador não restam dúvidas de que esta é uma ótima oportunidade para divulgar a “grande família” que é o Guimarães Marca, e que conta já com “64 empresas”.

O mercado da Coreia do Sul “é peculiar. Nós somos latinos, europeus, estamos habituados a algumas regras, e temos de nos adaptar às deles. Não é, certamente, na primeira visita que conseguimos isso. É uma questão de paciência e persistência, de perceber quem são os principais players do mercado e ir abrindo portas com a qualidade que os produtos portugueses têm”. E os sul coreanos parecem reconhecer e apreciar essa qualidade. “Na visita com o senhor Embaixador durante a tarde, ele elogiou bastante os nossos produtos e ficou bastante agradado com a qualidade da cidade de Guimarães e com a dos produtos que lhe mostramos”, conclui Sérgio Gonçalves.

A marca E.Leclerc surge como co-organizadora deste evento. Sofia Machado, responsável de marketing e comunicação do E.Leclerc de Lordelo, explica à IN que o principal objetivo da parceria passa pela “expansão dos mercados nesta zona de Guimarães”. Todos os produtores de vinho do evento “estão presentes na garrafeira do nosso hipermercado, o que ajuda também a dar-lhe visibilidade, sobretudo aos que ainda não têm um impacto nacional tão forte, mas também a criar um momento de net working e de troca de contactos.” Além de estarem presentes em eventos como este, o E.Leclerc “funciona sempre muito a nível local. No dia a dia, no trabalho do hipermercado, temos vários produtores locais. Temos até o programa Aliança Local, que promove a venda nas nossas lojas de vários produtos locais, alimentares e têxteis, por exemplo”.

O Clube de Vinhos e Comércio promete voltar para o ano, com novos parceiros e novos mercados, para uma 18ª edição renovada e cada vez melhor.

Embaixador da Coreia do Norte promove relações bilaterais

Com o intuito de promover as relações comerciais entre Portugal e Coreia do Sul, também o embaixador Song Oh marcou presença na 18ª edição do Clube Vinhos e Comércio. Apaixonado pela história de Portugal, Song Oh sublinha que sempre teve “muito interesse pela história de Portugal, e foi em Guimarães que tudo começou, por isso queria muito conhecer a cidade”.

Em entrevista à IN, destacou a importância de se encurtar as distâncias entre Coreia do Sul e Portugal para que possam acontecer mais negócios: “o turismo pode ser uma boa forma de ambos os países se aproximarem e criarem novas oportunidades de negócios, mas prevejo que esta relação bilateral saia reforçada ainda durante este ano, criando mais oportunidades de investimento para as empresas portuguesas”.

Num evento em que um dos destaques foram os vinhos, Song Oh destacou as potencialidades deste produto: “temos uma competição de vinhos na Coreia e no ano passado os vinhos portugueses foram distinguidos, nos tintos e nos brancos, portanto os coreanos conhecem e reconhecem as qualidades dos vinhos produzidos em Portugal. Pessoalmente aprecio muito o vinho Madeira e o vinho do Porto e espero que tenham uma maior procura no mercado coreano”.

Sobre este autor

Ana Leitão

Adicionar Comentário

Escrever comentário