Educação Empreendedorismo

St. Peter’s School: Metodologias de ensino que acompanham os novos tempos

Cada vez mais os encarregados de educação procuram escolas com métodos pedagógicos diferenciados, que potenciem a aprendizagem dos mais novos e também o crescimento pessoal. O colégio privado St. Peter’s School International School, em Palmela, surge como resposta a esses encarregados de educação, não fosse a escola uma referência da educação privada em Portugal.

Acompanhar a vertigem do tempo e da mudança é por excelência o grande desafio que se impõe às sociedades pós-modernas e, obviamente, à escola. Atravessamos um período em que o conhecimento científico e tecnológico se desenvolve a um ritmo de tal forma intenso e complexo que a quantidade de informação disponível, que cresce exponencialmente todos os dias, obriga-nos a uma práxis distinta e refletida sobre o que é educar no século XXI. O St. Peter’s enquanto instituição alinhada com o seu tempo, valoriza o perfil do aluno do século XXI e assume uma nova forma de pensar e agir numa escola que reclama outras formas de organização, seja nas metodologias e avaliação do currículo, seja no planeamento, seja na forma como organiza os seus espaços. Promove e incentiva a criatividade e a inovação, o espírito empreendedor e a cidadania em todos os níveis de ensino, assente em valores humanistas. “Cada aluno é visto como único”, salienta a diretora pedagógica, Ana Rita Sousa. “Todos os alunos entram na faculdade, não temos alunos que reprovam ou que ficam a fazer melhorias. O que fazemos e perceber onde eles se adaptam melhor”, completa.

Da creche até à faculdade

No St. Peter’s International School a maioria dos alunos entra na creche e sai apenas no 12º ano. Com cerca de 1400 alunos a taxa de retenção é quase nula. “Praticamente não existe”, sublinha a diretora pedagógica. Para isto, o segredo é “ter uma equipa de professores coesa, dinâmica e proativa”. “Para se estar num ensino de topo é necessário ter um perfil criativo, é preciso um professor refletir para saber como atingir os melhores resultados e isto é muito difícil de encontrar”.

A creche é uma das mais recentes apostas com o objetivo de colmatar uma procura “por parte das famílias que procuram cada vez mais um trajeto familiar, achamos que fazia sentido darmos a resposta desde os 6 meses até ao secundário”, explica Diogo Salomão, assessor financeiro do St. Peter’s.

Um plano Internacional

O programa pedagógico do St. Peter’s faz jus ao “international” do seu nome. Os alunos começam com inglês diário aos três anos e no primeiro ciclo as disciplinas são desdobradas em português e em inglês. Por exemplo, o teste de matemática de uma criança do terceiro ano é realizado em português e em inglês.

“Isso permite ao aluno, no final do primeiro ciclo, começar a sua certificação de Cambridge”, refere Ana Rita Sousa. A partir do 5º ano, os alunos começam a ter espanhol curricular e no 7º é a vez do alemão, para além disso os alunos podem ainda escolher por ter mandarim como unidade extra-curricular. No terceiro ciclo os alunos têm, para alem do plano curricular nacional, a disciplina de robótica.

Já no secundário os alunos têm “ao longo de todo o ano, a orientação escolar e profissional com uma psicóloga que produz um relatório final e que é analisado e discutido com a família no sentido da escolha do percurso do aluno”. “Preparamos os alunos mediante os conteúdos do plano pedagógico nacional, mas não só. Os nossos alunos chegam muito bem preparados às universidades”. Durante todo este percurso os alunos têm ainda várias atividades extracurriculares como voluntariado e práticas desportivas e artísticas: esgrima, ténis, rugby, basquete, voleibol, futebol, natação, hipismo, violino, judo, piano, karaté, coro, guitarra clássica, canto, ballet ‘and so on’, como diriam os alunos do St. Peter’s.

Novas Infraestruturas

Para o próximo ano letivo a St Peter’s irá abrir uma nova infraestrutura. O novo edifício irá iniciar as obras muito em breve e acrescentará novas valências e valores para a escola. “Vamos ser disruptivos porque na margem sul e norte do tejo e em Lisboa não há escolas que tenham essa oferta no ensino”, acrescenta Diogo Salomão. “Com esta unidade teremos mais um refeitório com resposta a 1400 refeições por dia. Um piso com novas salas de aula dedicadas ao internacional e um terceiro piso destinado ao alojamento com 46 camas”.

Para a diretora pedagógica as vantagens desta nova unidade são evidentes e trarão consigo um reforço ao ensino internacional. “Com novas salas e o boarding school, temos a oportunidade de irmos crescendo e isso dá margem para que entrem novos alunos, portanto a direção decidiu, a partir do 8º ano, oferecer, paralelamente ao currículo nacional, o currículo internacional, nomeadamente o de Cambridge. Esta oferta não é um complemento. As famílias optam entre o currículo nacional na continuidade direto ao 12º ano com exames nacionais para entrar na universidade ou pela via internacional, seguindo outro caminho, em que faz os exames do 9º e 10º anos e depois vai para International Baccalaureate (IB). Aqui começa a haver a separação de currículos”.

O St Peter’s Innternational School é a única escola no sul de Portugal com (IB), programa reconhecido pelas melhores universidades do mundo, o St. Peter’s é uma das nove escolas IB no país. Ano após ano, destaca-se no ranking global das escolas secundárias. O colégio de Palmela está ciente das novas realidades e não se furta às suas responsabilidades: “estamos atentos ao futuro, seja na parte da formação e pedagogia bem como nas nossas infraestruturas. Queremos sedimentar a nossa posição, crescendo para novas áreas e na qualidade dos serviços que prestamos”, conclui Diogo Salomão.