Empreendedorismo Gastronomia

Restaurante Cosy: Viajar sem sair da mesa

Prato de comida sushi do restaurante Cosy, em Braga
Um restaurante cosmopolita marcado por uma decoração inspirada na elegância das caves de champanhe francesas. O restaurante Cosy, situado em Braga, mostra-nos a poesia que há na criação de uma refeição. Coloque em sentido os sentidos porque nesta casa há muito para conhecer e degustar.

No restaurante Cosy, localizado no número 38 da Avenida Robert Smith, em Braga, desafiam-se os sentidos e acrescenta-se sempre algo a quem pensa que já provou tudo. A experiência é única, e mesmo que volte, viverá uma experiência nova, afinal há pratos que não se repetem.

Ao leme do Cosy está Isabel Pereira Marques, desde sempre uma mulher empreendedora, começou muito jovem a aspirar a um negócio próprio. Apesar de ter nascido em Vila Verde, foi viver para França (Lyon), ainda em criança. Mas a vontade de voltar a Portugal era iminente e assim se cumpriu esse destino, numa espécie de começo de um novo capítulo da sua vida. Com novas ambições e projetos, trazendo a experiência de uma vida e um fervilhar de ideias na bagagem, acabou por abrir o seu próprio negócio.

E se é certo que os projetos exigem tempo e dedicação, este não foi diferente. Foram várias as ideias até moldar o que é hoje o Cosy. Inicialmente Isabel Pereira Marques até pensou em criar um espaço que fosse um género de lounge, que unisse o conceito de bar e de restaurante, mas com música sempre presente.

Apenas mais tarde, e depois de conhecer o espaço onde é hoje o Cosy, virou o seu projeto inicial de pernas para o ar para o remodelar. A 24 de maio de 2013 o Cosy abria portas, trazendo à cidade de Bracara Augusta um conceito cheio de charme e identidade, que junta o sushi às cozinhas do mundo. São sete anos de experiência que deixam um conjunto admirável de alegrias e bons momentos, mas o Cosy continua a afirmar a sua elegância dia após dia.

Assim como o nome o indica, o Cosy é um espaço confortável e acolhedor. Toda a sua arquitetura denuncia essa identidade. O restaurante é inspirado nas caves de Champagne francesas, um espaço sóbrio, de cores quentes. Há uma essência muito própria, e tudo está no lugar, nada está disposto por acaso. É um espaço peculiar e único, além disso também a esplanada está em simetria com toda a linha arquitetónica do edifício – um espaço agradável com cor e requinte.

De fundo não existe silêncio, está sempre presente a música, seja jazz ou blues, em ritmo brando e em perfeita harmonia com todo o espaço. Deixamos o tempo passar enquanto na cozinha se vai construindo os pratos, como se houvesse algures uma ordem natural das coisas e só fosse preciso deixar que cada peça, cada alimento, encontre o seu lugar entre os outros, um lugar que só ele pode preencher.

O rei do cardápio é o sushi, que praticamente dispensa apresentações. De corte e textura perfeitos, fresco, cheio de personalidade, visualmente apelativo e…viciante! Ao saboreá-lo damos por nós a conhecer diferentes mundos e culturas e a entrar nessa alma japonesa pura e verdadeiramente genuína. Tudo é feito no momento do pedido, com a máxima exigência e detalhe que este elemento gastronómico exige. Não é por acaso que o sushi do Cosy é tão reconhecido, a qualidade é a palavra de ordem para que depois de servido proporcione uma explosão de sabores.

A carta é sempre trabalhada com a finalidade de surpreender o cliente – há alguns elementos fixos e outros que variam de dia para dia. Portanto, a surpresa é uma constante, e a experiência será sempre diferente. No caso de indecisão, o cliente pode simplesmente deixar a sua refeição ao cuidado do Sushiman e este terá o maior gosto em preparar-lhe algo inesquecível.

Hoje, para além do sushi, o Cosy pede paragem obrigatória na cozinha nikkei (junção de sabores japoneses e peruanos). Claro que esta heterogeneidade exige detalhe e a equipa que aqui trabalha tem consciência que todos os momentos são importantes para cuidar do seu cliente. Este é um espaço que nos faz viajar por vários pontos do globo, com uma cozinha internacional. Há bacalhau gratinado, ceviche, o naco de picanha, o naco de maminha e muito mais para experienciar e saborear neste mapa de sabores não conhece fronteiras.

No copo serve-se um pouco dos vários recantos de Portugal. Vinho com alma, para todos os gostos e momentos. Na carta há também espaço para alguns vinhos franceses e, como não podia faltar, para espumantes e champanhes.

No que diz respeito aos doces, destacamos o cheesecake de banana, uma escolha que agrada não só aos mais gulosos. Importa ressalvar que também as sobremesas são todas confecionadas numa cozinha que parece um autêntico mundo das maravilhas, afinal, tudo o que ali é confecionado é autenticamente saboroso.

Em tempos de pandemia, o Cosy adaptou-se através do serviço de take-away. Progressivamente foi regressando ao normal, para isso muito contribuiu a ampla esplanada. As medidas de higienização e as regras impostas pela DGS são cumpridas ao mínimo detalhe para que todos os clientes se sintam confiantes em voltar, vezes sem conta.