Atualidade Economia

Continental fecha fábrica de Palmela e deixa 370 no desemprego

Multinacional alemã justificou o encerramento da fábrica, previsto para 2021, com a queda do mercado automóvel mundial. Além dos 370 trabalhadores agora despedidos, a Continental emprega mais de 3 mil pessoas em Portugal.

Não é consequência da COVID-19, mas é sinal de que a economia mundial está prestes a cair. A unidade de produção de maxilas de travões dianteiros da Continental, que funciona há 25 anos em Palmela, vai fechar até ao final de 2021 e deixar no desemprego 370 trabalhadores.

O anúncio foi feito esta terça-feira, 17 de março, pela multinacional alemã. Em comunicado, a Continental apontou a queda do mercado automóvel mundial como a principal razão para o encerramento da unidade de produção de Palmela.

“As estimativas atuais são significativamente mais baixas em comparação com as previsões de há um ano e meio e mostram que os volumes da produção automóvel continuam a cair”, lê-se no comunicado. “Esta situação resulta igualmente na redução do mercado de maxilas de travão e, por consequência, na redução dos volumes de produção de Palmela”.

“Estes efeitos exigem que agrupemos volumes e que usemos efeitos de escala para assegurar a nossa competitividade e para consolidar as nossas fábricas de maxilas de travão na Europa”, continuou Bernhard Klumpp, diretor-geral da unidade de negócios sistemas hidráulicos de travagem da Continental.

Apesar dos 370 trabalhadores ficarem sem emprego, o grupo alemão garante apoio. “Vamos colaborar estreitamente com a Comissão de Trabalhadores para desenvolver um pacote abrangente de compensação. Este pacote vai incluir indemnização e apoio na procura de um novo emprego dentro ou fora da Continental”, disse Pedro Gaivéo, diretor-geral da fábrica de Pamela.

Esta fábrica do grupo Continental em Portugal registou quebra de faturação no ano passado. Em 2018 teve um volume de negócios de cerca de 140 milhões de euros e em 2019 diminuiu 6%.

O fecho da unidade de Palmela faz parte da reestruturação da multinacional, anunciada no final de 2019 e que prevê o despedimento de 20 mil trabalhadores a nível mundial ao longo da década de 2020.

A Continental emprega mais de 240 mil pessoas a nível mundial, sendo que em Portugal – com empresas em sete localidades – eram 3700 pessoas. Este despedimento representa assim 10% da força laboral em território nacional.

No entanto, mantém-se em pé o novo centro de engenharia e serviços da Continental que será inaugurado, em breve, no Porto e que irá empregar cerca de 300 engenheiros.

Foto: Facebook da Continental

Sobre este autor

Jorge Teixeira

Adicionar Comentário

Escrever comentário