Educação Empreendedorismo

EPACSB: Muito mais que uma escola – um pólo de formação e desenvolvimento da região

Integrada num dos mais emblemáticos mosteiros do país e herdeira de uma tradição secular de ensino agrário, esta é a mais antiga instituição de ensino agrícola do país. A Escola Profissional Agrícola Conde de S. Bento (EPACSB), em Santo Tirso, é uma instituição modelo no panorama nacional do ensino profissional.

É mais que uma escola. São jardins, são campos, é conhecimento, é história, é património. Inserida no interior do Mosteiro de São Bento, a EPACSB cumpre o legado do Conde de S. Bento em formar cidadãos responsáveis e possibilitar a aprendizagem de uma profissão a jovens de qualquer estrato social. A instituição, com 107 anos de história, participou no crescimento da região e continua a reinventar-se ano após ano, adaptando-se às novas metodologias/tecnologias e às constantes exigências do mercado de trabalho. “Estamos aqui há várias gerações, e temos tido a capacidade de nos adaptarmos às transformações que um mundo em constante evolução exige. Temos crescido muito, mas temos mantido a nossa cultura”, começa por explicar o diretor da escola, Carlos Frutuosa.

Com uma oferta ampla de cursos de nível II e IV/U.E. de dupla certificação, com equivalência ao 9º e 12º ano, respetivamente, a EPACSBorgulha-se de ter um corpo docente coeso e preocupado com o sucesso dos alunos. O objetivo, segundo Carlos Frutuosa, é formar profissionais que conheçam o mundo laboral, que tenham capacidade, iniciativa e espírito de ambição. “O papel da escola é formar pessoas, preparadas para a vida e mercado de trabalho. Temos uma grande procura precisamente porque somos reconhecidos pela formação que transmitimos aos jovens”, destacou o diretor.

A formação para a vida ativa, qualificada, que dá resposta às crescentes necessidades das empresas da região, assume-se como uma das prioridades deste ensino através de uma oferta formativa abrangente que procura integrar os conhecimentos científicos com a sua aplicação nos sistemas produtivos. Aqui, os alunos não têm práticas simuladas, mas sim em contexto real, preparando-os para o seu percurso profissional futuro.

Com o apoio de cerca de 250 empresas, com as quais mantemos protocolos de colaboração, a escola procura adaptar-se às exigências do ramo empresarial da região, porém, Carlos Frutuosa sublinha que existe um desfasamento entre o que alguns empresários exigem, relativamente ao que oferecerem: “Os empresários querem pessoas competentes, mas oferecem o ordenado mínimo, como se estivessem a contratar pessoas sem qualquer tipo qualificação. As empresas que querem progredir têm de apostar na mão de obra qualificada, em gente capaz, e para isso têm de pagar o justo valor. Este é um problema nacional, que desmotiva muitos jovens que mais tarde procuram trabalho no estrangeiro, onde são reconhecidos e onde não lhes falta emprego”.

Para os mais jovens

A EPACSB oferece, para os alunos que concluem o 8º ano de escolaridade e pretendam prosseguir por uma via diferente, dois cursos: O Tratador de Animais em Cativeiro e Operador de Máquinas Agrícolas. “Pela nossa experiência, a maior parte dos alunos que frequentam estes cursos, adquirem o gosto pela escola e pelos estudos, o que é demonstrado pelos 100% de sucesso escolar”.

Para além da agropecuária e vitivinicultura, uma aposta no turismo e na restauração

Para além da presença da agricultura, parte da essência e da génese da EPACSB, a escola tem vindo a apostar também em cursos ligados ao turismo e à restauração. “Na região havia necessidade de formar pessoas nesta área. Criamos um espaço para esses cursos, em colaboração com a Câmara Municipal de Santo Tirso, com um restaurante pedagógico que abre duas vezes por semana ao público. Para além disso temos ainda alguns quartos para alugar, inseridos num formato de Alojamento Local, dando assim apoio à prática pedagógica dos alunos de turismo ambiental e rural”, refere Carlos Frutuosa.

O desígnio das mais recentes apostas tem sido o mesmo a que a escola está habituada há 107 anos: um enorme sucesso. Confirmação disso mesmo foi a mais recente participação de alunas do curso de Técnico de Cozinha e Pastelaria, no Campeonato Nacional das Profissões – SkillsPortugal – 2020, tendo uma delas chegado à fase final realizada em Setúbal. 

Carlos Frutuosa destacou ainda os cursos de vitivinícola e turismo, “têm uma procura enorme por parte das empresas da região, são cursos em que os alunos saem com um emprego praticamente garantido. Não entendo o facto destes cursos terem uma baixa procura, nos dois setores que mais têm crescido em Portugal”.

Em relação a objetivos de futuro, o nosso interlocutor prometeu que a EPACSB pretende manter-se em harmonia com as várias empresas da região. “Estamos sempre atentos ao mercado e às exigências. Se existir na região uma área que necessite de formação, não temos qualquer problema em implementar esse curso, mas sem nunca descurarmos a nossa identidade e mantendo a nossa relação com a agricultura”.

Subsídios e benefícios

Para além de um ensino distinto, a EPACSB oferece ainda mais vantagens para os seus alunos, entre elas, a oferta de subsídios de alimentação em género, transporte e alojamento. A somar a isso há mais benefícios: bolsa de material de estudo, bolsa de profissionalização (durante a FCT), visitas de estudo nacionais e internacionais, seguro escolar, equipamentos e uniformes, isenção de propinas, possibilidade de estágios internacionais e atribuição de prémios de mérito (nos termos estabelecidos no RI).