Destaque Ecofriendly

Planalto Beirão: Uma Associação de Municípios unida em torno de um futuro mais sustentável

A Associação de Municípios da Região do Planalto Beirão (AMRPB) foi fundada em 1991 com o objetivo de promover o equilíbrio entre a qualidade de vida das populações e a preservação do ambiente, através da recolha, transporte, tratamento e valorização dos resíduos sólidos urbanos produzidos pelos mais de 300 mil habitantes dos municípios associados.

A Associação de Municípios é composta por 19 municípios: Aguiar da Beira, Carregal do Sal, Castro Daire, Gouveia, Mangualde, Mortágua, Nelas, Oliveira de Frades, Oliveira do Hospital, Penalva do Castelo, Santa Comba Dão, São Pedro Sul, Sátão, Seia, Tondela, Tábua, Vila Nova de Paiva Viseu e Vouzela.

Inaugurado em 1999, o Centro de Tratamento de Resíduos Sólidos Urbanos da Associação de Municípios do Planalto Beirão, situado em Borralhal, concelho de Tondela, é a unidade fulcral de todo o sistema. Aqui está situado o aterro sanitário, a unidade de tratamento mecânico e biológico e as linhas de triagem de resíduos de embalagens e de papel e cartão.

Desde 2017 encontra-se em execução a operação de “Incremento da qualidade e da quantidade da recolha seletiva trifluxo no Planalto Beirão”, cofinanciada através do Fundo de Coesão da União Europeia no âmbito do Programa Operacional para a Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos do Acordo de Parceria Portugal 2020. Esta operação visa fomentar a separação na fonte, deposição, recolha, transporte e processamento de resíduos recicláveis de embalagens. Com um valor de investimento superior a 19 milhões de Euros, regista hoje uma execução financeira superior a 80%.

Em outubro de 2017, o Centro de tratamento de RSU foi severamente afetado pelos incêndios que assolaram a região e destruíram total ou parcialmente diversas das unidades que o compõe, causando um prejuízo de mais seis milhões de euros e colocando em causa a sua capacidade de tratar cerca de 120.000 toneladas de resíduos que recebe anualmente.

Apesar dos enormes constrangimentos verificados a AMRPB conseguiu assegurar quase de imediato o serviço prestado às populações, retomando a recolha de resíduos logo nos dias seguintes ao incêndio.

De modo a restaurar rapidamente a capacidade operacional do sistema, também o financiamento da recuperação e modernização das instalações foi prontamente assegurado, através do Programa Operacional para a Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, do Fundo Ambiental (POSEUR) e da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Centro.

Está em fase de planificação a estratégia do Planalto Beirão para a valorização na fonte e recolha seletiva de biorresíduos como resposta da região ao desafio da promoção da bioeconomia no contexto da transição para uma Economia tendencialmente circular.

São exigentes e ambiciosos os desafios que se desenham no futuro do setor da gestão de resíduos urbanos no contexto global das alterações climáticas, do crescimento populacional, da extração de recursos naturais e dos novos equilíbrios geopolíticos e dinâmicas económicas. Desafios que sublinham o papel da responsabilidade individual e social, da solidariedade intergeracional e da harmonização do desenvolvimento socioeconómico das sociedades de hoje em dia.

Desafios que há perto de 30 anos impulsionaram a Associação de Municípios a cuidar das suas comunidades, e que hoje integram a matriz de valores e de princípios que diariamente tutelam a sua atividade.