Atualidade Ecofriendly Notícias

Será que os leiteiros vão voltar?

leite-em-garrafa-de-vidro

Em Londres, registou-se um aumento do volume de negócios dos leiteiros sobretudo por preocupações ambientais relacionadas com o uso excessivo de plástico. Será que os leiteiros vão voltar?

Se não se lembrar do tempo em que o leiteiro ia lá casa pela manhã levar o leite, certamente que os pais ou avós já lhe falaram da memória. Hoje  já não é assim e o usual é comprar  leite no supermercado, mas será que a história vai voltar atrás?

A moda já pegou em Londres onde os Millennials – geração nascida entre o início dos anos 80 e o fim dos anos 90 – estão a recorrer cada vez mais aos leiteiros. O objetivo é reduzir o consumo de materiais descartáveis como o plástico ou cartão usados em supermercados.

Contudo, a figura do leiteiro transformou-se e já não corresponde ao trabalhador isolado que faz entregas porta-a-porta. Assim, têm surgido empresas como a Milk&More onde a encomenda pode ser feita até as nove da noite do dia anterior. O serviço é cómodo, fiável e sustentável e adaptado ao mundo atual.

Empresas com a Milk&More oferecem alternativas vegetais ao leite e outros produtos que podem ser entregues na casa do cliente. O foco está sempre na embalagem eco-friendly.

A série da BBC Blue Planet II, do historiador britânico David Attenborough, terá desencadeado este fenómeno. Desde o início deste ano as empresas que fornecem serviço como a entrega de leite em casa têm reportado aumento do volume de negócios – um indicador de que os leiteiros vão voltar ao quotidiano londrino.

Paralelamente, têm surgido em vários países da Europa pontos de recolha de leite fresco que pode ser armazenado em garrafas de vidro. Muitos destes sistemas são automáticos e quando uma garrafa acabar baste devolvê-la à máquina e encher uma nova com leite.

Em Portugal, a moda ainda não pegou, mas as preocupações ambientais com os plásticos descartáveis já fazem parte do dia-a-dia dos portugueses. Os sacos da Insatec são exemplo.

Sobre este autor

Diana Barros

Adicionar Comentário

Escrever comentário