Atualidade Notícias

Défice: Bruxelas otimista para este ano e 2020

défice

A Comissão Europeia melhorou hoje a previsão para o défice português este ano, para 0,1% do PIB, dos anteriores 0,4%, e também para 2020, antecipando agora um “défice zero”, alinhando com as previsões do Governo.

A economia portuguesa deverá crescer 2% este ano e 1,7% tanto em 2020 como em 2021, segundo a Comissão Europeia, que publicou esta quinta-feira as previsões de Outono. Em 2018, o crescimento tinha sido de 2,4%.

Os novos números são divulgadas depois de o Instituto Nacional de Estatística (INE) ter feito, em setembro, uma considerável revisão das contas nacionais, com mais crescimento sobretudo para 2017, 2018 e o primeiro semestre deste ano.

Os dados divulgados em setembro pelo INE assentam numa nova base de contas nacionais, que levou à incorporação de nova informação e à revisão de vários valores que, no caso de 2018, são ainda provisórios. Em setembro, a carga fiscal de 2018 foi também revista em baixa em cinco décimas, para 34,9% do PIB. O valor estimado para 2018, continua a ser o mais elevado desde pelo menos 1995, mas ainda assim abaixo da média europeia.

Bruxelas torna-se, desta forma, mais otimista para 2019 do que o Governo, que manteve a previsão de 1,9% no esboço orçamental enviado para Bruxelas. No entanto, para 2020 as previsões da Comissão já não acompanham os números do ministro das Finanças, ficando três décimas abaixo dos 2% previstos por Centeno.

Questionado sobre a situação portuguesa, na conferência de imprensa de apresentação do documento, o comissário europeu dos Assuntos Económicos e Financeiros, Pierre Moscovici, sublinhou que o crescimento do país “deverá ficar bem acima da média da União Europeia”, mesmo nos próximos dois anos, em que é mais pessimista do que o Governo.

Sobre este autor

Diana Barros

Adicionar Comentário

Escrever comentário