Destaque Gastronomia

IVBAM apresenta o Rum da Madeira

O Rum da Madeira é um Rum Agrícola, categoria atribuída a uma ínfima percentagem da produção de rum a nível mundial, o que o torna ainda mais especial!

O Rum da Madeira é um Rum com Indicação Geográfica Protegida (IGP) produzido na Madeira, obtido exclusivamente por fermentação alcoólica e destilação do sumo de cana de açúcar, sendo por esse motivo classificado como rum agrícola.

É um produto único que se diferencia sensorialmente, fruto de um conjunto singular de fatores que vão desde a geografia, condições edafoclimáticas da Região, variedades de cana-de- açúcar utilizadas, método de produção e envelhecimento e o know-how secular acumulado ao longo de gerações.

História

A Ilha da Madeira foi descoberta em 1419, poucos anos passados, as terras começaram a ser desbravadas, sendo o solo ocupado com a cultura de trigo, vinha e cana de açúcar.

Devido às boas condições edafoclimáticas da Ilha da Madeira, gerou-se uma produção de cana de açúcar em quantidade e qualidade considerável, e em 1466 era a principal cultura da Madeira para a produção de açúcar, que era maioritariamente destinado à exportação.

Em finais do século XIX surgem os primeiros engenhos de destilação de rum (entre os madeirenses é conhecido como “aguardente de cana”). Entre 1847 e 1870, estimam-se a existência de 26 engenhos de destilação de “aguardente de cana”.

Com a viragem do século XX para XXI, houve um impulso crescente na produção de cana sacarina e atualmente esta cultura ocupa cerca de 180ha que correspondem a uma produção que ronda as 10.800 toneladas/ano.

Produção do Rum da Madeira

A cultura de cana-sacarina é praticada em pequenas explorações, não ultrapassando os 5.000 m2 e frequentemente fragmentadas em cinco a seis parcelas. A pequena dimensão das parcelas aliada à orografia dos terrenos resulta na impossibilidade, quase generalizada, de recurso à mecanização, pelo que a produção da matéria-prima do «Rum da Madeira» está fortemente dependente da mão-de obra.

Após a apanha da cana-de-açúcar esta é rapidamente sujeita a uma moagem. O mosto resultante é então sujeito a uma decantação seguida de filtração, com o objetivo de tornar este “caldo” o mais limpo possível.

Antes de dar início à fermentação, é ainda ajustado o teor de açúcares para o nível ideal que conduz a uma otimização do processo de fermentação. Ocorre então um lento processo de fermentação, que poderá levar alguns dias.

O líquido resultante da fermentação, vulgarmente designado por “vinho de cana”, pode ser sujeito a uma decantação ainda antes de ser destilado, conservando-se a qualidade e o sabor deste produto típico da Madeira.

O rum da Madeira é classificado em três tipos:

– Rum da Madeira natural: Complexidade aromática e tropicalidade, frescura, mineralidade e persistência típicas;

– Rum da Madeira edulcorado ou «beneficiado»: A edulcoração realça a complexidade aromática, nomeadamente notas adocicadas a mel e a frutos secos como figos e passas;

– Rum da Madeira envelhecido: envelhecimento em cascos de madeira de carvalho por um período mínimo de três anos. Encorpado e detentor de uma frescura ácida conferida pelo terroir da Região, com complexidade aromática, elegância do sabor e elevada persistência. As indicações de idade são: três anos; seis anos/Reserva; nove anos; 12 anos/ Reserva Velha; 15 anos/Reserva Especial; 18 anos/Reserva Superior; 21 anos/Grande Reserva; 25 anos ou Superior, associadas ou não à menção «Grande Reserva Premium».

Antes da sua comercialização o Rum da Madeira é sujeito a um rigoroso controlo de qualidade que culmina no certificado IGP “Rum da Madeira” atribuido pelo Instituto do Vinho, do Bordado e do Artesanato da Madeira IP-RAM (IVBAM).

Em 2019 foram cinco os engenhos que exerceram a atividade, tendo a produção total de «Rum da Madeira» ultrapassado os 6.500 hectolitros a 50 por cento vol., resultante da transformação de cerca de 8.000 toneladas de cana de açúcar, tendo sido engarrafados 5.214 hectolitros de «Rum da Madeira».

Sobre este autor

Ana Leitão

Adicionar Comentário

Escrever comentário