Educação Empreendedorismo

Queen Elizabeth’s School: 86 anos de referência no ensino bilingue

A Queen Elizabeth’s School é sinónimo de tradição, prestígio e ao mesmo tempo de inovação e abertura, características bem enraizadas na sua identidade desde 1935, de acordo com a visão da fundadora, Denise Lester, e que continuam a ser reforçadas pela liderança de Conceição Oliveira Martins.

Este histórico colégio, localizado em Lisboa, integra entre as suas valências o berçário, creche, educação pré-escolar e o 1º ciclo do ensino básico português. Uma oferta que se orienta pelos princípios de uma formação humanista, adaptada à personalidade de cada criança e que visa o seu desenvolvimento pleno e integral. A esta filosofia, acresce o foco na aprendizagem precoce do inglês como segunda língua e no respetivo contacto com a cultura britânica, conseguidos de forma natural e intuitiva em contexto bilingue. Tal representa um projeto educativo idealizado, fundado e durante décadas conduzido por Miss Margaret Denise Eileen Lester O.B.E. (Order of the British Empire), súbdita britânica que encontrou no nosso país o local para realizar a sua obra dedicada ao ensino e à aproximação de Portugal e do Reino Unido. No já referido ano de 1935, criou a Queen Elizabeth’s School como uma escola inglesa para crianças portuguesas e nativas da língua inglesa a residir em Portugal, a qual segue o currículo oficial português a par da aprendizagem da língua inglesa desde tenra idade. O seu projeto teve início num cenário bem diferente do atual: a sua primeira instalação foi uma casa particular, sendo os alunos apenas três. O reconhecimento foi imediato e levou a que, ainda em vida da fundadora (falecida em 1982), ascendesse aos 300 alunos que continuam a aumentar, o que acarreta uma maior responsabilidade social. Nos seus primeiros anos, foi funcionando em diferentes instalações que acompanharam este crescimento até à sua fixação no espaço onde se mantém até hoje. Este edifício foi construído de raiz em 1952 beneficiando de um donativo do Governo inglês que, desse modo, reconheceu o mérito da Escola.

Neste momento, o colégio é dirigido por Conceição Oliveira Martins que, nos últimos anos tem desempenhado a missão de manter vivos os ideais preconizados pela fundadora, conforme instituído aquando da criação da Fundação Denise Lester, em 1965. Decorre daí que a escola mantenha o propósito de acompanhar os programas de ensino vigentes nas escolas britânicas, cultivar a relação de amizade entre o Reino Unido e Portugal, assegurando a existência de professores de nacionalidade britânica no seu corpo docente. Além deste legado, acresce o reforço da sua presença no panorama do ensino bilingue em Portugal. Nesse sentido, a atual liderança tem mostrado um constante dinamismo na procura de novas formas de dar aos alunos a melhor preparação para singrarem a nível pessoal e profissional numa educação cada vez mais global e inclusiva. Desde o ano letivo 2014/2015 que a Queen Elizabeth’s School segue um modelo integrado de ensino bilingue, para a educação pré-escolar nacional e currículo do primeiro ciclo do ensino básico português, em complementaridade com o Programa Primário Internacional da Universidade de Cambridge, Cambridge Primary Programme da Cambridge Assessment International Education. A Queen Elizabeth’s School é desde 2013 uma “Cambridge Primary School” e “Cambridge International School”. Esta escola tem parcerias com algumas entidades internacionais, sendo, nomeadamente, Centro de Preparação de Exames da Cambridge English, Centro de Exames do Trinity College London e membro do Instituto Britânico do Programa de Parceria de Exames “Addvantage”. Quanto ao reconhecimento internacional do ensino de Inglês desta escola, este é validado pelos Cambridge Primary Checkpoints (desde o ano letivo de 2014/2015) nas disciplinas de matemática, ciências e inglês como segunda língua, para a obtenção de um Statement of Achievement e Diagnostic Report do Programa Primário Internacional da Universidade de Cambridge, pelos “Young Learners English Tests” da Universidade de Cambridge (desde 1998), “Integrated Skills in English” (ISE I e ISE II) desde 2010 e Graded Examinations in Spoken English (GESE VII) do Trinity College London, First Certificate in English da Universidade de Cambridge (FCE) desde 2015, Certificate in Advanced English (CAE) desde 2016 e Certificate of Proficiency in English (CPE) desde 2017, correspondentes aos níveis A1, A2, B1, B2, C1 e C2 do Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas do Conselho da Europa (QECR). Os níveis a partir do A2 destinam-se aos antigos alunos que frequentam os Clubes de Inglês da Queen Elizabeth’s School. Recentemente, o colégio tem desenvolvido esforços em várias outras dimensões, como o alargamento da sua oferta para a valência da creche, onde tem tido uma grande procura. A exposição dos alunos às expressões artísticas como a música também tem sido uma forte aposta, podendo iniciar-se nos 3 anos de idade e exercendo nas crianças um estímulo para o desenvolvimento das suas capacidades cognitivas.

Adesão ao Projecto da Câmara Municipal de Lisboa
“Ler é um direito”, no âmbito do protocolo estabelecido
com a Associação de Estabelecimentos de Ensino
Particular e Cooperativo (AEEP).

A Queen Elizabeth’s School tem, desde sempre, dado muito valor à expressão dramática e musical como instrumentos de excelência na aprendizagem da língua inglesa. As crianças do pré-escolar são submetidos a um exame de Artes Performativas “Trinity Stars: Young Performers in English Award” (Stage II e Stage III, desde 2014), assim como os alunos que frequentam as aulas de iniciação de piano podem realizar um exame de música, adequado às suas faixas etárias, que vai do nível preparatório até ao nível 2 da Associated Board of the Royal Schools of Music, líder mundial na área de avaliações e exames de música de quatro dos mais prestigiados conservatórios do Reino Unido (Royal Academy of Music de Londres, Royal College of Music de Londres, Royal Northern College of Music Manchester e Royal Scothish Academy of Music and Drama, Glasgow). Com um percurso que tem contribuído para o estreitamento dos laços históricos e culturais entre Portugal e o Reino Unido, a Queen Elizabeth’s School revela-se uma instituição que ultrapassa fronteiras, respondendo às necessidades reais de uma sociedade global, tendo sempre vindo a apostar na internacionalização do seu currículo e na participação em programas de intercâmbio educativo e cultural. Vários projetos têm vindo a ser desenvolvidos nas áreas da Educação para a Cidadania, nomeadamente, na colaboração com Organizações não Governamentais e Instituições de Solidariedade Social, em campanhas de sensibilização para angariar fundos e géneros alimentares para lares de terceira idade, centros de apoio a crianças desfavorecidas e a pessoas portadoras de deficiência.

A educação cívica faz integrante do projeto educativo desta escola católica que prepara os seus alunos para os sacramentos da iniciação cristã, promovendo o diálogo inter-religioso e o conhecimento de outras confissões que alguns dos seus alunos também professam.

Desenhos dos alunos no âmbito do concurso “Uma Aventura… Literária 2021”, da Editorial Caminho 

Sobre este autor

Jorge Teixeira

Adicionar Comentário

Escrever comentário