Mulheres Inspiradoras Mundo Empresarial

“Hoje em dia temos clientes que são nossos amigos e que estão connosco desde o início.”

A TecJob nasceu há cinco anos e dedica-se ao fabrico de sinalização fotoluminescente de segurança e identificação. Tudo começou numa sala de reuniões emprestada, “muito pequenina”, mas que rapidamente teve de crescer. Susana Gonçalves é a CEO da empresa sediada em Grândola, no Alentejo, e falou-nos do seu percurso de sucesso. Foram cinco anos de crescimento sustentado rumo a um futuro que se augura promissor, tudo alicerçado numa equipa que “veste a camisola”, à imagem da sua gestora.

A Susana Gonçalves decidiu arriscar no seu próprio negócio ao mesmo tempo que se mudava com a família de Braga para Grândola. Considera-se uma mulher empreendedora? Como se define enquanto gestora e líder?
Sou uma mulher que preza a sua independência e que gosta de se sentir realizada, o que alimentou muito o meu espírito empreendedor. Construir o meu próprio negócio permitiu-me não só contribuir para essa autorrealização, como adereçar questões que eu considerava importantes neste setor. Faço questão que a Tecjob ande de mãos dadas com a inovação, que tenha a capacidade de arriscar e que ofereça aos clientes exatamente aquilo de que necessitam. É com base nestes ideais e objetivos que lidero os meus colaboradores. Gosto de pessoas motivadas, prontas para aprender e com ambição. Gosto que as pessoas com quem trabalho ‘’vistam a camisola’’ da empresa e que se sintam em casa quando estão a trabalhar. Penso que só desta forma conseguimos entregar um produto com qualidade aos nossos clientes. Incentivo a participação de todos no crescimento do negócio, ouvindo as suas ideias e expectativas. Por outro lado, comprometo-me a ensinar-lhes tudo o que sei e apoiá-los para que evoluam profissionalmente, porque a Tecjob também cresce quando os seus colaboradores crescem. No fundo, a equipa é como uma família e tiramos todos proveito disso.

Vestir a camisola, como disse, é algo a que dá muita importância e que é fundamental em qualquer equipa de trabalho. Como consegue incutir esse espírito na Tecjob?
Neste momento somos nove elementos na Tecjob. Encontrar as pessoas certas para o lugar certo é um desafio, como será sempre toda a gestão de pessoas. No entanto, acredito que a equipa que temos vindo a construir está perfeitamente enquadrada nos objetivos da empresa e motivada para aqui estar. Estamos todos sujeitos a um grande nível de exigência por parte do mercado, mas determinados em exceder, todos os dias, as suas expectativas. É uma equipa muito jovem, com imenso para aprender ainda, mas, ao mesmo tempo, com muitas ideias e energia. Temos apostado cada vez mais numa comunicação interna transparente, que permita que todos tenham voz aqui dentro e que se sintam valorizados. Neste sentido, acho que estamos num bom caminho.

A TecJob produz todo o tipo de sinais relativos à segurança de pessoas, desde sinalização contra incêndios, perigos, emergência e até sinalética identificativa. É uma área em que é preciso estar sempre um passo à frente antecipando riscos para os evitar. Esta ideia pode aplicar-se também à forma de gerir uma empresa?
Completamente. Não se consegue gerir uma empresa sem ter um plano prévio de como o fazer. É algo que requer muita ponderação, cedências, jogo de cintura e, acima de tudo, planeamento. Entramos em todos os meses com objetivos muito bem definidos, quer no que respeita a vendas como a ações que estejamos a desenvolver internamente (em relação à equipa, aos nossos produtos ou ao atendimento ao cliente, por exemplo). Desta forma conseguimos estar, tanto quanto possível, um passo à frente das adversidades que possamos vir a encontrar e permite-nos ter sempre um plano B.

Pegando em palavras suas, o sucesso da empresa alcança-se com a proximidade ao cliente, a capacidade de resposta e a inovação. Continua a ser assim?
Há de ser sempre assim. O nosso produto diferencia-nos no mercado, sem dúvida, mas aquilo que mais capta a atenção das empresas que trabalham connosco é a relação que estabelecemos com elas, todo o empenho que colocamos na nossa capacidade de resposta e a nossa constante preocupação com a inovação. Hoje em dia temos clientes que são nossos amigos e que estão connosco desde o início. Uma das nossas principais preocupações é dar uma resposta rápida e clara a todos os que nos contactam, seja qual for a necessidade. Fazemos também questão de saber a opinião dos nossos clientes em relação à nossa empresa através de inquéritos de qualidade anuais. Isto ajuda-nos a melhorar e a manter a boa relação que temos com o cliente. Sabemos que, nesta área, o tempo é escasso e os prazos são apertados, pelo que temos como filosofia que nenhuma encomenda pode demorar mais de 48 horas para ser expedida. Essa rapidez e constante contacto com o cliente, seja qual for o departamento da empresa em que determinada encomenda se encontra, torna-nos muito competitivos no mercado. A inovação vem por acréscimo a todo o feedback que recebemos a partir daqui. Ouvindo as opiniões e estando atualizados daquilo que está presente no mercado conseguimos inovar naquilo que parecia não ser possível. A nossa gama Premium by Tecjob é um ótimo exemplo disso.

O slogan da empresa “We never stop perfecting what’s already perfect” demonstra o caminho de procura da melhoria contínua?
Sem dúvida. O nosso slogan é a nossa filosofia. É aquilo que temos em mente sempre que entramos pela porta de entrada para dar início a um novo dia de trabalho. O segredo do negócio está em nunca nos sentirmos demasiado confortáveis e em não nos conformarmos com aquilo que não parece ser passível de mudança.

Sendo a personalização um dos pontos fortes da TecJob, lançaram entretanto a marca Million Gifts. Esta é precisamente dedicada a artigos personalizados, brindes, presentes e até decoração. Como têm sido os primeiros passos desta nova empresa? Há muita procura por este tipo de produtos?
Acredito que a Million Gifts tem muito para dar. Estamos agora a dar início ao arranque desta empresa, num mercado que se revela cada vez mais exigente. Hoje em dia somos constantemente alvo de demasiados estímulos. Existe muita oferta no mercado e acaba por ser difícil diferenciarmo-nos nele. O consumidor passou a comprar experiências e não produtos e é isso mesmo que a Million Gifts quer oferecer. Queremos que o cliente tenha um papel ativo na personalização das suas encomendas e pretendemos mostrar que, desde que tenhamos as ferramentas certas, não há impossíveis. Estamos aqui para fazer acontecer. Personalizamos todo o tipo de coisas: material de escritório, roupa, brindes para festas, decoração para a casa e até aplicamos a nossa iluminação fotoluminescente a fotografias, posters e papel de parede. Não querendo parecer demasiado poética, aqui o céu é o limite.

Sobre este autor

João Malainho II

Adicionar Comentário

Escrever comentário