Atualidade Investimento Notícias Turismo

LOCOMOTIVA DA EXCELÊNCIA PROJETA LEIRIA

LEIRIA ASSUME-SE COMO UM DOS MELHORES MUNICÍPIOS PARA VIVER VISITAR E INVESTIR

A autarquia de Leiria quer afirmar o município como um território de elevada atratividade para viver, trabalhar ou investir, numa região competitiva, não apenas ao nível nacional, mas à escala do novo mercado global.

Em entrevista à IN Corporate Magazine, o presidente da Câmara Municipal de Leiria, Raul Castro, nos comandos do município desde 2009, oferece aos visitantes uma gastronomia ímpar, uma rede hoteleira de qualidade e atrativa, uma vida noturna vibrante, um excelente programa cultural e um património requalificado. Há 10 anos, o presidente prometia “transformar Leiria na locomotiva do desenvolvimento da região”. Hoje, e nesse sentido, as principais estratégias do município são mesmo elevar os parâmetros de qualidade e apoiar o dinamismo empresarial de forma a atrair a população à cidade.

IN Corporate Magazine (INCM): Como é que o Município de Leiria potencia a qualidade de vida dos leirienses?
Raul Castro (RC): A elevação do nível de qualidade de vida está no centro da estratégia que este executivo desenvolve para o concelho. Nos últimos anos, temos vindo a afirmar Leiria como um território de excelência em diversas áreas. Na área económica, orgulhamo-nos de apresentar uma taxa de desemprego de 3,2%, comparável à da economia alemã, o que significa que somos uma ótima opção para trabalhar. Na área do ensino, modernizámos o nosso parque escolar, tal como na saúde, de forma a dar as melhores condições de vida à nossa população. Paralelamente, desenvolvemos um programa de apoio social para as franjas mais carenciadas da nossa população, de modo a garantir um patamar de vida digno a todos. Nesta fase, em que ao nível das infraestruturas básicas o concelho atingiu um elevado patamar de qualidade, como a rede viária, rede de água e saneamento, olhamos com grande ambição para os desafios do futuro. Queremos afirmar Leiria como um território de elevada atratividade, seja para viver, trabalhar ou investir, um território competitivo, não apenas à escala nacional, mas à escala do novo mercado global.

INCM: E como mede esta qualidade de vida?
RC: A qualidade de vida é medida por um conjunto muito largo de critérios, em que se destacam as respostas nas áreas da saúde, educação, apoio social, segurança, emprego, rede viária, oferta cultural, espaços verdes, riqueza patrimonial e paisagística.

INCM: Quais as principais políticas para fixar a população?
RC: O apoio ao dinamismo empresarial, que é uma imagem de marca desta região, está no centro da nossa estratégia de atração da população. Temos vindo a criar condições para captar investimento, o que deu origem a um tecido empresarial muito dinâmico, que atrai cada vez mais recursos humanos. Paralelamente a esta estratégia, defendemos que o território só será atrativo se tiver um elevado nível de qualidade de vida, pelo que pretendemos oferecer as melhores condições a quem escolher Leiria para viver ou trabalhar.

INCM: A tendência de fixação da população tem-se verificado?
RC: Os dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística, de 2017, referem que residem 125.307 pessoas neste concelho. A nossa expectativa é que, face ao dinamismo que esta região apresenta, seja possível escapar à tendência de perda de população que a generalidade do país enfrenta.

INCM: O turismo traz, muitas vezes, a visibilidade necessária às localidades. Qual o maior foco de atração turística do concelho?
RC: Convido-vos a iniciarem uma visita ao concelho de Leiria no nosso esplêndido castelo, símbolo monumental da nossa história. Para conhecerem a história de Leiria e das suas gentes é imperioso visitar o Museu de Leiria, agora num espaço renovado, tal como o Centro de Diálogo Intercultural de Leiria, onde valorizamos a presença, ao longo dos séculos, de três importantes religiões em Leiria: Cristianismo, Judaísmo e Islamismo.
O Moinho do Papel, o Agromuseu Municipal D. Julinha, e o m|i|mo – museu da imagem em movimento completam um roteiro de uma cidade que aposta cada vez mais na cultura como marca diferenciadora. O Museu Escolar dos Marrazes, que nos oferece uma perspetiva da evolução da escola ao longo dos tempos, é outro espaço que recomendo. Num roteiro pelo concelho é obrigatório visitar a praia do Pedrógão, que apresenta um triplo reconhecimento da qualidade, com as Bandeiras Azul, Praia Acessível e Qualidade de Ouro. Esta praia oferece um extenso areal, os benefícios do iodo, a Arte Xávega e sossego aos visitantes

INCM: Esta riqueza cultural de toda a região é o ponto de partida da candidatura de Leiria enquanto Capital Europeia da Cultura em 2027. É um projeto audacioso?
RC: Esta ambição é muito mais abrangente do que o concelho de Leiria. Denominado Rede Cultura 2027, este é um projeto pioneiro ao nível das comunidades intermunicipais que pretende fomentar a criação de uma rede de cidades e vilas que vão cooperar no domínio das artes, da cultura e do conhecimento. É composta por 26 municípios das Comunidades Intermunicipais (CIM) da região de Leiria e da região Oeste e da CIM do Médio Tejo, integrando os agentes e associações culturais de cada município, a que se juntam a Associação Empresarial da Região de Leiria e Diocese de Leiria Fátima.
Trata-se de uma ligação municipal sem precedentes no nosso País. Esta ambição não se resume a um ano cheio de eventos e espetáculos em 2027. Ambicionamos com este projeto fomentar o nascimento de um ‘cluster’ cultural, envolvendo uma extensa de rede de agentes culturais desta região.

INCM: Que tipo de atividades estão agendadas, brevemente, para o município de Leiria que potenciam uma visita ao concelho?
RC: O nosso cartaz de eventos apresenta grande riqueza e diversidade ao longo do ano. Destaco apenas alguns, e deixo desde já um convite para que visitem Leiria. De 30 de abril a 26 de maio, temos a tradicional Feira de Leiria, com um cartaz extraordinário de concertos, em que se destaca, dia 11 de maio, Roger Hodgson, vocalista dos Supertramp, e Xutos e Pontapés. Ainda em maio, de 15 a 19, temos a Festa dos Museus, e dias 1 e 2 de junho a recriação Leiria há 100 anos.

INCM: Leiria tem uma gastronomia regional muito rica. Quais os produtos locais que mais fazem jus àquilo que são e àquilo que representam?
RC:
Neste concelho banhado pelo atlântico, que se estende a territórios de cariz serrano, levamos à mesa os melhores sabores de dois mundos. Das brisas do Lis à morcela de arroz, das migas ao chícharo ou da sardinha ao cabrito, existe uma inesgotável variedade de pratos, que nos propõem uma viagem à tradição gastronómica dos nossos homens do mar e das gentes que trabalham a terra.

INCM: A região centro apresenta-se como área de grande influência socioeconómica. Quais foram as políticas municipais de atração de investimento e desenvolvimento económico?
RC:
O município de Leiria está a trabalhar no sentido de melhorar as condições existentes para a instalação de empresas no concelho, nomeadamente através da criação de novas zonas industriais, de que é exemplo a Zona Empresarial de Monte Redondo.
Um dos obstáculos à instalação de grandes empresas tem sido a falta de terrenos disponíveis para o efeito. Com a revisão do PDM foram criadas condições para o desenvolvimento de novas zonas industriais que permitirão a instalação de novas unidades. E não se trata apenas de atrair grandes empresas ou investimento externo, mas também de criar condições para responder ao grande dinamismo empresarial desta região.

INCM: Para além da aposta ao nível das infraestruturas, que outras medidas estão a ser efetivadas para apoiar o empreendedorismo?
RC:
Destacamos a criação de um espaço para acolhimento de startups no edifício do Mercado Municipal após a realização de obras de reabilitação, e a construção de um centro para atração de empresas na área das TICE – Tecnologia, Informação, Comunicação e Energia – no topo norte do estádio Municipal. Por outro lado, temos vindo a defender a transformação do Instituto Politécnico de Leiria em universidade, uma medida que, acreditamos, teria grande impacto na atração de talento a este território e correspondente impulso na área do empreendedorismo.

INCM: Quais as metas seguintes para o município?
RC:
Podemos afirmar que está em curso uma verdadeira revolução neste concelho, que vai mudar decisivamente Leiria para melhor. São muitos os exemplos de projetos em curso que terão um forte impacto na melhoria do nível de qualidade de vida dos leirienses: a construção de um novo jardim às portas de Leiria já em marcha, a instalação da Loja do Cidadão no centro da cidade, a construção do Centro d’Artes Villa Portela, a construção de um Centro de Negócios no Topo Norte do Estádio, a requalificação do mercado municipal, a requalificação do castelo de Leiria e construção de acessos mecânicos a este monumento, a construção do primeiro pavilhão desportivo inclusivo do país, o alargamento da rede de ciclovias, a requalificação das principais artérias da cidade, ou a criação de zonas industriais nas áreas menos desenvolvidas do concelho.