Atualidade Notícias

Prémio João de Almada: manter “a marca que distingue o centro do Porto”

premio joao de almada

O gabinete de arquitetos Figueiredo+Pena foi distinguido pela Câmara do Porto com um prémio de dez mil euros na categoria “Edifícios Residenciais” da 18.ª edição do Prémio João de Almada.

O gabinete  Figueiredo+Pena ganhou na categoria “Edifícios Residenciais” da 18.ª edição do Prémio João de Almada. O projeto foi desenvolvido no Porto entre a Rua do Almada e a Alferes Malheiro, em dois lotes que se tocam.

Os  arquitectos do gabinete  encontraram o espaço quando o projecto de reabilitação para estas três casas lhes foi parar às mãos. Assim, venceram o Prémio João de Almada, atribuído bienalmente pela Câmara Municipal do Porto aos melhores exemplos de reabilitação da  cidade.

A recuperação preservou elementos originais herdados: a escada em caracol, a clarabóia, os soalhos, as madeiras dos rodapés ou as portadas. “Elementos valiosos que, em muitas intervenções, se deitam fora de uma forma um pouco displicente”, explica Luís Pena, co-fundador do gabinete ao P3. Além disso, o arquiteto acrescenta que “a marca que distingue o centro do Porto de outras cidades” só se mantem com a preservação destes detalhes.

Assim, foi mantida a “estrutura fundamental”, virada para o Almada — um edifício “com a tipologia das casas burguesas do Porto e bons materiais e acabamentos”. Além disso, na casa de Alferes Malheiro, “muito estreita”, só foi possível preservar a fachada. Foi “reconstruída com estrutura de madeira em torno de uma escada de caracol”.

O terceiro edifício acabou demolido e reconstruído “com a linguagem de uma oficina”. “Os materiais ficaram visíveis interiormente assim como as instalações estão à vista”, descreve Luís Pena.

O “reconhecimento” deixa a equipa satisfeita, num momento em que se assiste a uma “reabilitação demasiado rápida no Porto”. Atualmente, os arquitectos estão a desenvolver um projecto para o Centro de Pesquisa e Conservação do Museu Jurassica, na Suíça.

Outras categorias da 18.ª edição do Prémio João de Almada

Na categoria “Edifícios Não Residenciais” do mesmo prémio foi distinguido o projecto de reabilitação da “Casa Rosa” Hotel, na Rua da Alegria, do arquitecto Nuno Graça Moura. Além disso, foram atribuídas menções honrosas aos Depa Architects, por uma habitação na Rua do Rosário, aos aNC Arquitectos, pelo projecto de um imóvel na Rua do Padre Fernão Cardim, ao Atelier 15, pelo Reservatório da Pasteleira e aos arquitectos Nuno Valentim, Frederico Eça e Margarida Carvalho, pelo edifício dos Albergues Nocturnos do Porto.

Sobre este autor

Diana Barros

Adicionar Comentário

Escrever comentário