Líderes de Sucesso Turismo

Sever do Vouga: “À beira-Vouga plantado”

Capital portuguesa do mirtilo, Sever do Vouga é um município reconhecido pelas suas magníficas paisagens naturais e culturais, nas quais se enquadram algumas das mais belas cascatas do país, o idílico Vale do Vouga, inúmeros miradouros sobre a costa atlântica, bem como um rico e preservado património megalítico. Por aqui também passa o Caminho em direção à Catedral de Santiago, um percurso que tem ganho uma nova dimensão nos últimos anos.

O novo trajeto utilizado na época medieval, que liga os concelhos de Viseu, Tondela, Vouzela, Oliveira de Frades, Sever de Vouga, Águeda e Albergaria-a-Velha, leva cerca de cinco dias a percorrer e vai entroncar com o caminho principal, que vem do Sul e atravessa Anadia, Águeda, Albergaria-a-Velha, Oliveira de Azeméis e Porto, em direção a Santiago de Compostela.

O trajeto Caramulo – Vale do Vouga está agora sinalizado, desde a Sé de Viseu, onde inicia a rota, até ao caminho principal, em Albergaria-a-Velha, com indicação do Albergue Rainha D. Teresa, que marca a confluência dos caminhos. Os caminhantes passam por Tondela, contornando a serra do Caramulo através do corredor da antiga Linha do Vouga (Vouzela, Oliveira de Frades e Sever do Vouga), descendo ao Carvoeiro até Albergaria-a-Velha.

Já por terras de Sever do Vouga, o caminho está cheio de histórias e tradições. Este percurso inicia-se no lugar da Ereira, freguesia de Talhadas, percorrendo o troço da antiga estrada romana, até atingir a sede da freguesia, onde, reza a lenda, Santiago se deparou com uma grande pedra que lhe barrava o caminho. Então, apenas com a força da sua palavra, partiu a grande pedra em duas Talhadas.

Pedras talhadas

Na água ou em terra, Sever espalha-se por quase 130 quilómetros quadrados onde habitam cerca de 12 mil habitantes. Neste território não se apagam peças importantes da história. O troço de Santiago cruza-se com outros novos trilhos que exploram as magnificas paisagens naturais da região. Um deles é o trilho por onde o comboio Vouguinha circulou e que foi agora transformado numa ecopista do Vouga, com mais de 12 quilómetros que acompanha o rio. É um percurso de ar puro que enche os pulmões e de paisagens que arregalam a vista, e que atravessa a Ponte do Poço de S. Tiago, um postal do concelho, com o maior arco em pedra da Península Ibérica, com 28 metros de altura. Foi feita com a força dos braços há 105 anos, para a passagem dos comboios da linha do Vouga.

Ponte do Poço de S. Tiago

Os caminhantes mais aventureiros podem também seguir até aos Passadiços do Rio Gresso. Estão cravados numa ligeira encosta, protegidos pela sombra do arvoredo da montanha e refrescados pela água que vai jorrando serra abaixo. O rio Gresso desce do cimo da serra do Arestal, onde poderá ser visitada a Capela de S. Tiago, a cerca de 850 metros de altitude, até ao rio Vouga. Há quem diga que este é um dos rios de montanha mais bonitos do país. Repleto de cascatas e quedas de água, o Gresso é dono de uma paisagem muito peculiar. Parte dela decora um trilho de passadiços localizado em Sanfins, freguesia de Rocas de Vouga, município de Sever do Vouga.

Tem cerca de 1,5 quilómetros de extensão, mas é apenas a amostra de um percurso, ao longo do rio, bem maior. Com um circuito circular, estende-se ao longo de quatro pontes e algumas escadas em madeira, sem perder de vista as quedas de água do rio, as quais, a par das cascatas da Cabreia e da Fílveda, constituem um dos ex libris do concelho.

Não podemos deixar de lhe recomendar também, uma visita à aldeia dos Amiais, à albufeira da Barragem de Ribeiradio e aos principais miradouros locais: o de Nossa Senhora da Penha, o de Santa Maria da Serra, o do Castêlo, o da Volta da Barca e o do Alto da Capela do Barreiro. Muitos dos locais que poderá visitar em Sever do Vouga, inclusive algumas das suas cascatas e panorâmicas, são importantes sítios de interesse geológico (geossítios), revelando histórias da Terra com muitos milhares de anos.

Via romana

Valorizar o Caminho de Santiago

Assentes nos objetivos de valorização do património de Sever do Vouga, o executivo tem feito esforços para reinventar, ou neste caso, para apostar naquilo que a natureza lhes ofereceu, uma imensa paisagem e um vasto território repleto de vários tesouros naturais. A requalificação e a promoção do Caminho de Santiago surgem nesse panorama, com o objetivo de promover as suas gentes, a sua gastronomia e toda a paisagem que Sever do Vouga tem para oferecer aos caminhantes.

Agora, através da ação conjunta com a Federação Portuguesa dos Caminhos de Santiago, será implementada uma estratégia comum de valorização e promoção dos diferentes percursos do Caminho de Santiago. “Iremos trabalhar para reforçar o turismo religioso, através da promoção do património histórico, cultural e religioso, contribuindo para o desenvolvimento económico, social e ambiental dos municípios que integram os caminhos”, explica o vice-presidente da Câmara Municipal de Sever do Vouga, Almeida e Costa, sublinhando que vê na Federação uma importante mais-valia. “Acreditamos na força do trabalho em parceria. O Caminho de Santiago é um percurso de evolução interior, mas também de lazer, desporto e aventura. Sever do Vouga tem muito para oferecer aos peregrinos”, conclui o autarca.

Sobre este autor

Ana Sofia

Adicionar Comentário

Escrever comentário