Ciência e Tecnologia

Startups com ADN português

O tímido país mostra que não tem nada de envelhecido. Portugal é a sede de negócios inovadores e as startups são sinónimo disso. A IN apresenta-lhe sete startups com ADN português que podem revolucionar o seu dia a dia.

Muzzley
Chegar a casa e ter a sua chaleira com água quente? Fábricas totalmente automatizadas onde as máquinas fazem tudo? Não são cenários de um filme de ficção cientifica. São o começo tímido da internet das coisas, do anglo-saxónico Internet of Things (IoT) – um mercado emergente. A Muzzley começou em 2013, com Domingos Bruges, e representa precisamente a possibilidade de interagir com o mundo que nos rodeia através de um smartphone. A startup implementa tecnologia que liga os dispositivos eletrónicos do dia a dia à internet, possibilitando o seu controlo através do smartphone.

Lapa
Nunca sabe do telemóvel? Da carteira? Se só não perde a cabeça porque está agarrada, o que lhe falta é a Lapa. João Oliveira e Luís Certo inventaram a Lapa, um dispositivo portátil que se cola (como se fosse uma lapa) aos objetos às chaves, ao carro, à carteira. Através de uma aplicação no smartphone, é possível saber onde estão esses objetos num raio de 70 metros. Fora desse raio, pode recorrer à comunidade – todos os que usam a aplicação Lapa.

Wisecrop
A Wisecrop, startup da UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, quer ajudar os produtores a evitar gastos energéticos ou tratamentos desnecessários. É uma ferramenta de gestão com várias soluções para a atividade agrícola que alia a inteligência artificial a equipamentos colocados no terreno para recolher dados e desenha soluções que poupam o ambiente e aumentam a produtividade agrícola. O co-fundador, Tiago Sá, foi distinguido pela Forbes na lista “30 under 30”, prova do sucesso da startup.

Heptasense
Ricardo Santos e Mauro Peixe conheceram-se na faculdade e partilhavam o sonho de controlar coisas sem lhes tocarem, começaram a trabalhar no projeto e nasceu a Heptasense, em Lisboa. A startup desenvolveu um sistema de inteligência artificial que analisa o movimento e o fluxo de pessoas num determinado local para alimentar mecanismos automáticos e tem desenvolvido meios de controlo de terrorismo que envolvem contagem de multidões, mapas de calor entre outras tecnologias. A startup com ADN português foi selecionada para um programa de dados da Comissão Europeia e vai receber um financiamento de 100 mil euros.

MobiQueue
Falto de esperar em filas? Tire a senha antes de chegar com a MobiQueue. A aplicação, desenvolvida pela startup portuguesa homónima, permite a procura dos estabelecimentos aderentes mais próximos e a consulta do número de pessoas em espera para cada serviço, assim como tempo médio de espera. O serviço de gestão de senhas é complementado por informações úteis como horários e contactos. Para alguns estabelecimentos, a aplicação deixa o utilizador retirar senha de forma não presencial. Senha emitida? Pode receber uma notificação de alerta personalizada de acordo com as suas preferências.

HUUB
A HUUB, nascida na Maia, atua no ramo da logística e ano passado bateu a média europeia de financiamento. A startup consciencializada de que a era em que nos encontramos é “moldada pela informação, experiência de utilizador, colaboração e produtividade” apostou em soluções integradas. O objetivo é um ecossistema logístico mais dinâmico. A startup de ADN português é responsável pela gestão da cadeia de abastecimento de marcas que operam no mercado da moda a nível inernacional, através da plataforma Spokel. O futuro passa por contratar 30 pessoas e crescer para os EUA num investimento de 2 milhões de euros.

Feedzai
Sabemos que a inteligência artificial é o futuro e a tecnologia já é utilizada para muitos fins. A Feedzai decidiu aplica-la no combate à fraude. Machine learning (software inteligente que aprende com padrões de utilização) e big data uniram-se para dar às soluções bancárias e comércio via internet mais segurança. Transparência, rapidez e eficiência são os valores da startup portuguesa que tem sido destacada internacionalmente. No início do ano, a empresa associou-se ao Instituto Superior Técnico para criar a primeira unidade curricular da instituição dedicada ao machine learning. Saiba mais sobre Inteligência Articial com a In.

Sobre este autor

Jorge Teixeira

14 Comentários

Escrever comentário