Arquitetura e Design Destaque

Dujoca, soluções em vidro no centro do país há um quarto de século

dujoca

Em Leiria existe uma empresa que conseguiu pôr uma família a passar dos espelhos de casa de banho para a venda do vidro plano transformado para todas as áreas. A parte criativa em soluções de vidro é reflexo da exigência e qualidade existentes na Vidraria Dujoca.

Nos anos 90 era quase regra haver um espelho todo trabalhado na casa de banho dos portugueses. Tendo em conta que a zona Centro é uma zona forte em serralharias, foram anos de muito trabalho para aqueles lados. Carlos Lopes foi uma dessas pessoas. “O meu pai tinha um café aqui [em Carreira]. Enquanto a minha mãe mantinha o café, ele trabalhava na cave a fazer os tradicionais espelhos de casa de banho e a trabalhar na famosa pedra onde se polia o vidro à mão”, contou Pedro Batista. “Fez um catálogo de espelhos para vender aos revendedores e começou a ser solicitado para fazer vidros para janelas e houve uma evolução natural”, resumiu o filho, atual gerente, a par com o irmão mais velho João Carlos.

Primeiro, a empresa tinha o nome do fundador, ‘Carlos Lopes’, mas em janeiro de 1995 passou a ‘Vidraria Dujoca’. “Quando o meu pai fundou a empresa, já tinha um nome para ela quando o meu irmão nasceu, dai surgiu o nome, como o meu pai é Carlos Lopes, a minha mãe Dulcelina e o meu irmão João Carlos. Juntou-se as primeiras letras dos três nomes e ficou ‘Dujoca’. Costumo dizer que sou o ‘Lda.’”, explicou, a rir.
Desde 2005 têm vidro duplo. “O meu pai foi estando atento e avançou.

Fomos aprendendo a fazer vidro duplo e a CLIMALIT foi fundamental para nos abrir a novas oportunidades”, continuou. Foram também uma das primeiras empresas do setor a implementar a norma de segurança NP 4397:2008, adaptada da OHSAS 18001:2007, concedida pela TÜV Rheinland Portugal (uma multinacional de origem alemã), para transformação e montagem de vidro plano.

Com sede em Carreira, a empresa atua sobretudo na zona Centro, mas faz também algumas obras fora do país. “No vidro duplo temos vindo a melhorar edifícios e fachadas. No vidro decorativo fizemos obras interessantes em vidro curvo”, descreveu, entre outros projetos de grande relevo. Em 2018 forneceram vidros SGG CLIMALIT PLUS para uma casa em Ourém, que foi selecionada para o concurso do prémio de arquitetura ‘Obra do Ano 2018’, da ArchDaily.

Pode haver uma continuidade na parte estética/decorativa da atividade da empresa, mas o foco continua a ser o acompanhamento do setor e o consequente investimento tecnológico. Mesmo quando as coisas não correm bem. “A Dujoca teve de investir em 2010, altura da crise, mas foi o ponto de viragem”, elucidou.

Só para se ter uma ideia, “quem neste setor não investir continuamente em máquinas e inovações produtivas, está tramado”. Por isso, numa altura em que comemoram 25 anos de existência, preparam-se para arrancar com a nova unidade produtiva. Isso acontecerá no próximo mês de março ou abril deste ano.

O que vem depois? “Nas vidrarias não há médio e longo prazo. Só curto prazo e como estamos tecnologicamente”, rematou.

Sobre este autor

Jorge Teixeira

Adicionar Comentário

Escrever comentário