Ecofriendly Empreendedorismo

Fertiprado: Semear o seu bem-estar

A Fertiprado, nascida em 1990, é uma empresa de sementes com foco no desenvolvimento de misturas biodiversas ricas em leguminosas para pastagens, forragens, culturas de revestimento, interculturas e adubações verdes.

A Fertiprado é uma referência nacional no universo da alimentação animal. Falamos de um projeto que arrancou em 1990, pelas mãos do engenheiro agrónomo David Crespo, o impulsionador das pastagens e forragens cultivadas em Portugal. Que balanço fazem destes 30 anos?

Na verdade, estamos mais habituados a olhar para a frente, para o futuro, do que a olhar para trás; mas fazendo esse exercício, o balanço é bastante positivo.

A Fertiprado conseguiu implantar e disseminar uma visão diferente da pecuária, uma pecuária baseada no aproveitamento da erva de qualidade, onde a biodiversidade das misturas e a sua riqueza em leguminosas desempenham um papel basilar.

Na realidade a visão do Eng.º David Crespo, de usar as vantagens das leguminosas e da biodiversidade – muito antes da palavra ser moda – tem vindo a ser constantemente validada com o passar dos anos.

Juntos com os agricultores, que em nós depositam a sua confiança, já semeámos mais de 470 mil hectares de pastagens permanentes biodiversas, que fixaram mais de 25 milhões de toneladas de carbono, e 730 mil hectares de forragens de qualidade que evitaram a importação de mais de 1 milhão de toneladas de soja. Este é um concreto e importante contributo para a sustentabilidade ambiental e económica do sector.

Com o conceito de misturas biodiversas ricas em leguminosas, estamos também presentes em Espanha, Itália, França e Uruguai e como exportadores de leguminosas levamos a bandeira de Portugal para muitos mais países: Alemanha, Suíça, Bélgica, EUA e Austrália.

A sustentabilidade dos sistemas agropecuários continua a ser uma das vossas principais preocupações? Uma pecuária mais sustentável tem sido cada vez mais uma exigência, não só por parte dos produtores, mas dos próprios consumidores, que começam a ter hábitos mais ‘verdes’ e sustentáveis.

Não é uma preocupação, é a base do nosso trabalho. Os efetivos pecuários são máquinas de transformar alimentação em carne e leite. Quanto mais sustentável for o sistema de alimentação, mais sustentável é o negócio.

Com as misturas que preconizamos, os alimentos são naturalmente mais ricos em proteína, elemento fundamental na produção animal. O sistema das pastagens e forragens biodiversas ricas em leguminosas transforma a atividade pecuária numa atividade com externalidades positivas: que sequestra carbono, que evita importações, que melhora os aquíferos, que potencia a biodiversidade, que respeita o bem-estar animal e que produz alimentos – carne e leite –  de superior qualidade, naturalmente ricos em ómega 3 em vitaminas e outros oligoelementos reconhecidamente essenciais para a saúde humana.

Sei que para 2020 traçaram dois objetivos: continuar a inovar e a manter-se na vanguarda tecnológica, apontando na direção de I&D e no seu envolvimento crescente em projetos de investigação e inovação nacionais e internacionais; e também no crescimento da empresa além fronteiras, através da sensibilização dos diferentes mercados para a importância das misturas bio diversas ricas em leguminosas na proteção do meio ambiente e, particularmente, dos solos. Foram dois objetivos alcançáveis ou a COVID-19 veio alterar estas ambições?

Talvez fruto do nosso otimismo, olhamos para a COVID-19 como um problema conjuntural e não estrutural. A longo prazo, tendo em conta a origem da doença, os consumidores aumentarão a sua atenção à origem e à qualidade dos alimentos. Estas escolhas virão cada vez mais ao encontro dos sistemas de produção que a FERTIPRADO preconiza.