Empreendedorismo Turismo

Em Arcos de Valdevez caminha-se entre a História e a natureza

O Caminho Minhoto Ribeiro percorre o território do concelho de Arcos de Valdevez durante cerca de 42 km. Calcorreando caminhos de tradição histórica que atravessam o sul do concelho, o Centro Histórico da vila e para norte a linha fluvial do Rio Vez, o caminhante segue até Vilela, ponto de atravessamento assente na sua ponte medieval; aqui é desafiado a seguir caminho por duas opções de percurso: uma via Extremo e a outra por Sistelo. Estas possibilidades de percursos e a riqueza de qualquer um deles, documentada desde momentos longínquos da História, fazem do trajeto arcuense um desafio diferenciador e entusiasmante.

Arcos de Valdevez assenta num passado milenar e na ligação à formação de Portugal, através do Recontro de Valdevez de 1141, que assegurou a Afonso Henriques o caminho para a independência de Portugal. O Caminho Minhoto Ribeiro percorre assim um território que assume todo este legado e o seu significado.

O Centro Histórico da vila reflete toda a história e identidade desta terra; moldado pelo Rio Vez, o casario, as ruas e os principais edifícios e monumentos estão interligados com as vivências da população, sobretudo a partir da Idade Média. No seu percurso, o Caminho passa por monumentos únicos de identidade, como o Paço de Giela, um dos mais importantes Monumentos Nacionais, mas igualmente igrejas, capelas, caminhos e atravessamentos múltiplos, numa rede que se perde no tempo e que tem no Rio Vez uma “estrada” natural de condução do Homem deste tempos imemoriais, hoje potenciada como destino de Património e de Natureza com a sua ecovia de quase 40 quilómetros de extensão. No limite norte do concelho e do Caminho, encontramos igualmente elementos patrimoniais de enorme diferenciação e importância: no Extremo os vestígios arqueológicos de duas estruturas fortificadas da Guerra da Restauração (século XVII), únicas no seu género, e em Sistelo a Paisagem Cultural, a primeira a ser classificada como Monumento Nacional, e que reconhece a importância desta localidade na História local.

Arcos de Valdevez é também um assombro de paladares, que pode igualmente maravilhar o caminhante: a singular e deliciosa carne de vaca Cachena, acompanhada pelo Arroz de Feijão “Tarreste”, o vinho verde da casta “Vinhão”, mas também as sobremesas como o delicioso Bolo de Discos ou os fantásticos e premiados “Charutos dos Arcos”, verdadeiro ex-libris doce do concelho.

História, Natureza e Identidade são assim componentes essenciais do Caminho por Terras de Valdevez.

Percorra-o connosco.

Sobre este autor

Jorge Teixeira

Adicionar Comentário

Escrever comentário