Empreendedorismo Turismo

JAAP, uma produção elegante e aromática

Longe vão os tempos em que os vinhos do Algarve se destinavam apenas a grandes produções a granel. Sinónimo da qualidade que se tem vindo a elevar na região algarvia, surge a Quinta do Barradas, em Silves. Luís Pequeno é o rosto de uma marca que tem vindo a conquistar o palato de quem prova estes vinhos.

Entre os laranjais que fazem de Silves a aclamada capital da Laranja e a vinha, que faz do Algarve uma das mais recentes referências vitivinícolas do país, encontramos o Barradas, um restaurante contemporâneo que abriu portas em 1988. Este restaurante, onde se servem os sabores portugueses com um toque de autor, foi o ponto de partida para a criação do vinho Quinta do Barradas. E se dizem que uma refeição deve ser sempre harmonizada com um bom vinho, por aqui, juntou-se o útil ao agradável. Luís Pequeno decidiu trocar os citrinos pela vinha e assim criou o vinho Quinta do Barradas.

No final dos anos 80 Luís Pequeno trocou Portugal pelos Estados Unidos para trabalhar no Royal Caribbean, uma empresa de cruzeiros por onde passaram alguns dos Chef’s mais conceituados do mundo. “Foi um dos grandes passos que dei na minha vida”, ressalva o empresário. Alguns anos depois Luís regressava a Portugal com uma experiência única na bagagem e com vontade de transformar o restaurante Barradas num espaço diferenciado. O restaurante foi crescendo e tornou-se numa referência no Algarve. Com uma carta de vinhos que abrangia todas as regiões de Portugal, faltava, porém, um verdadeiro vinho da casa. Foi assim que, em 2006, Luís Pequeno decidiu transformar a sua quinta – trocou os citrinos pela vinha e iniciou a sua própria produção de vinhos.

A marca Quinta do Barradas era lançada em 2010, ano da primeira produção da quinta. “Notou-se logo de início que havia potencial, mas o primeiro vinho não surpreendia. No entanto, 2011 foi um bom ano vitivinícola no Algarve e desde aí que começamos a produzir vinhos diferenciados. Em 2014 ganhamos o ouro no Concurso de Vinhos do Algarve e desde então que temos arrecadado, todos os anos, diversos prémios”.

Uma década depois da primeira produção, hoje os vinhos Quinta do Barradas apresentam outra maturidade, e é sentida nos vinhos. Colocados num mercado tão competitivo, os vinhos Quinta do Barradas introduzem-se com a excelência que lhe é merecida: robustos, simples e despretensiosos – são vinhos de empatia fácil. As castas utilizadas são a Touriga Nacional, a Aragonês e o Syrah no tinto e Alvarinho e Loureiro no branco. Mas há ainda os vinhos monocasta (Syrah) e os Rosés produzidos unicamente em anos “de excelência máxima”.

Com uma produção de vinhos distinta Luís Pequeno sublinha a importância de alguns processos de produção mais tradicionais, que resultam num produto mais cuidado. “Não usamos herbicidas, é tudo muito natural e o grande produtor já não consegue fazer esse trabalho”, enfatiza.

Em claro crescimento, Luís Pequeno espera que esta jornada seja o início de uma história familiar, por isso espera que os filhos integrem este negócio em breve.

Sobre este autor

Jorge Teixeira

Adicionar Comentário

Escrever comentário