Tecido Empresarial

A aumentar a produção fatia a fatia

É uma pequena empresa mas com uma grande capacidade. A experiência está na sua base e a dedicação na lista de valores. Foi fundada apenas em 2020, não para de crescer e, como tal, a procura de novos clientes é imperativa. Conheça Ideias Fatiadas, uma empresa ligada à indústria têxtil, localizada em Paços de Ferreira.

António Carneiro é o administrador da Ideias Fatiadas, e é com orgulho que nos fala da sua empresa. Aqui apenas se fabrica um produto: a ligueta. Esta é produzida em várias medidas e usada na confeção, principalmente em artigos de mulher. Para a sua produção é necessária uma entretela, um material aplicado no tecido para estruturar a peça, que apresenta diversas variações, materiais e espessura. Como o trabalho da ligueta é fatiar as entretelas, surge deste processo o nome da empresa.

O empresário contou-nos um pouco do seu percurso, já longo, nesta área. Anteriormente tinha uma outra firma ligada ao setor, a Envicorte, onde produziam um grande leque de produtos para além da ligueta. Quando decidiu vender essa empresa levou a ideia da produção de liguetas para um novo projeto. Nasceu assim a Ideias Fatiadas, com um arranque relativamente fácil, uma vez que os clientes já estavam fidelizados e acabaram por transitar para a nova empresa.

A relação que mantêm com os clientes é muito simples e descomplicada. Por a ligueta se tratar de um produto também ele simples, os clientes já sabem as medidas que vão precisar e fazem as encomendas com isso em mente. Depois do produto estar concluído, a Ideias Fatiadas leva-o ao encontro dos clientes, se estes se localizarem perto. Caso contrário, estão encarregues deste serviço as próprias transportadoras das empresas.

A empresa foi criada em janeiro de 2020, exatamente no princípio da pandemia. Algo que acabou por não afetar muito já que “no primeiro ano as coisas foram acontecendo a uma velocidade reduzida, mas foram andando bem” e nunca deixaram de trabalhar. No ano passado, 2021, tudo foi bem melhor, com mais encomendas, e “a perspetiva para este ano é que se mantenha”.