Notícias

Sem acordo, motoristas de matérias perigosas marcam nova greve

O Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas avança para uma nova greve entre 7 e 22 de Setembro, a decorrer nas horas extraordinárias, fins de semana e feriados, não apresentando serviços mínimos, “porque os horários de função normal de qualquer trabalhador” está assegurado.

O presidente deste Sindicato, Francisco São Bento, anunciou hoje, quarta-feira, a intenção do sindicato apresentar um pré-aviso de greve às horas extraordinárias, fins de semana e feriados, para começar no dia 7 de Setembro, e terminar a dia 22 de Setembro. Não há nenhuma indicação para serviços mínimos, “uma vez que estão assegurados os horários de função normal de qualquer trabalhador”, pelo que o sindicato não vê necessidade de apresentar serviços mínimos.

De acordo com Francisco São Bento, a decisão de avançar para esta greve “cirúrgica”, como mesmo apelidou, também ajudará a reforçar aquilo que os motoristas afetos ao sindicato têm dito: que fazem muitas horas extraordinárias e que os patrões não as remuneram, como impõe a lei.

Sobre a hipótese da greve não se vir a concretizar, Francisco São Bento afirma que para tal basta que a Antram dê garantias de que vai reconhecer os dois princípios quee o sindicato considera essenciais: reforçar em 40% o subsídio de operações já negociado para 2020 ee a intenção de que todo o trabalho diário realizado acima das 9 horas e 30 minutos seja reemunerado.