Atualidade Cultura Notícias

Livraria Lello oferece livros em ‘drive thru’ inédito

Foto: Facebook da Livraria Lello

A partir de 1 de abril e por tempo ainda indeterminado, a conhecida livraria do Porto leva a cabo uma iniciativa que visa pôr todos a ler, mesmo em isolamento. Como? Através de um ‘drive thru’ e oferecendo livros aos leitores.

É um dois-em-um. Apesar de estar com a atividade comercial suspensa, uma das livrarias mais bonitas do mundo continua a funcionar, para bem da cultura e sanidade mental de muitos leitores em isolamento.

A Livraria Lello vai oferecer livros aos condutores que se dirigirem às suas instalações, no Porto. Trata-se do “primeiro ‘drive thru’ livreiro no mundo”, segundo os próprios, ou não fosse uma ideia e iniciativa deles.

Assim, a partir de 1 de abril e por tempo ainda indeterminado, este ‘drive thru’ funcionará de segunda a sexta-feira, entre as 10h00 e as 12h00. Será oferecida uma obra da “The Collection”, coleção editada pela livraria, sendo que a primeira é a “Mensagem”, de Fernando Pessoa.

A partir de dia 1 de Abril, entre as 10h -12h, de segunda a sexta-feira, a Livraria Lello orgulha-se em abrir o primeiro…

Publiée par Livraria Lello sur Lundi 30 mars 2020

Na quinta-feira, dia 2, como é o Dia Internacional do Livro Infantil, será oferecido um exemplar de “Na Livraria Mais Bonita do Mundo”. Na sexta, dia 3, é a vez de “O Livro da Selva”, “essa história mágica sobre um menino que cresceu no meio de uma matilha de lobos, e que apesar de não ser a sua família de sangue, a defendeu como se fosse. Uma outra analogia para este sentido de comunidade que todos hoje vivemos”, conforme frisou a livraria.

As obras que se seguem serão escolhidas e anunciadas antecipadamente nas redes sociais.

Os interessados devem inscrever-se no dia anterior até às 18h00, por email (info@livrarialello.pt), fornecendo os seus dados pessoais (nome, morada, email e contacto telefónico).

A entrega será feita no ‘drive thru’ “por um colaborador da Livraria Lello, que cumprirá todas as normas de segurança e higiene, e entregará os livros diretamente na janela dos carros dos leitores”.

O objetivo é cumprir assim a missão de “pôr o mundo inteiro a ler sempre que haja mundo, leitores e o que ler”.

A iniciativa surge depois de a ministra da Cultura, Graça Fonseca, ter afirmado que não existia nada que impedisse que as livrarias continuassem a funcionar durante o estado de emergência desde que vendessem os livros “à porta” ou “no postigo”, como acontece com outros serviços, considerando que os livros também são um bem de primeira necessidade.