Destaque Turismo

Cultura, gastronomia e a Serra de São Mamede a convidar uma aventura

Enquadrada pelo magnífico Parque Natural da Serra de São Mamede, Portalegre revela-se como uma cidade de beleza única e crepuscular, “cercada de serras, ventos, penhascos, oliveiras e sobreiros”, situada entre a planície e a montanha. A riqueza cultural, paisagística e gastronómica, aliada à vasta oferta de unidades de Turismo Rural e Urbano, faz de Portalegre um local especial para se visitar, passear e desfrutar plenamente, com os cinco sentidos. Adelaide Teixeira, presidente do município de Portalegre, fez um retrato à IN sobre as mais valias do projeto ‘Destino Frontera’ e dos encantos deste concelho.

Nesta edição falamos dos destinos de fronteira em Portugal. Assim, inevitavelmente tenho que o questionar sobre a importância que a proximidade com Espanha tem para Portalegre?

Portalegre é o município que atualmente detém a presidência do Triurbir, A.E.I.E, o triângulo urbano Ibérico-Raiano, que engloba ainda Cáceres, Plasencia, e Castelo Branco. Temos apostado na cooperação transfronteiriça desde 1997, com o objetivo de desenvolver uma cultura de colaboração ativa, fortalecendo e estimulando os laços de participação no nosso território, consolidando-nos dessa forma como destinos turísticos de referência.

Há uma maior procura dos espanhóis por Portalegre ou acontece o inverso?

A nosso ver, a procura dos nossos vizinhos, principalmente na primavera e verão, é muito grande, e isso é evidenciado pela afluência aos hotéis, espaços de turismo rural, museus e equipamentos culturais do concelho. Também a afluência dos nossos vizinhos ao Mercado Mensal, no Parque de Feiras e Exposições de Portalegre, é bastante significativa.

Quais as principais atividades que estão alocadas a esta proximidade?

Maioritariamente, “nuestros hermanos” visitam-nos pelas paisagens, pela cultura e pela gastronomia, e o nosso concelho está especialmente preparado, nestas três vertentes, para os receber da melhor forma.

Com a formalização do projeto europeu ‘Destino Frontera’, o turismo beneficia de que forma?

A estratégia do projeto “Destino Frontera” é posicionar os territórios transfronteiriços como “Dois países, Um destino”, promovendo a raia ibérica como destino único, com uma campanha que vá mais além da Península Ibérica e chegue a vários países.

Ainda recentemente, em julho de 2020, o projeto “Destino Frontera” foi classificado como “Boa Prática”, pela plataforma “Policy Learning Platform”, da Interreg Europe, que compila as melhores práticas de promoção turística à escala europeia.

Que roteiro recomendaria a quem escolhe Portalegre para descansar uns dias? O que visitar e que especialidades gastronómicas não podem faltar nessa experiência?

A cidade tem um património arquitetónico e histórico assinalável, com diversos locais para visita e passeio: as ruas do centro Histórico; as Portas da cidade; a Catedral (e o seu conjunto de pintura maneirista, que é um dos melhores conjuntos do país); a Igreja de Santo António, projetada por Carrilho da Graça; o Castelo; o Mosteiro de São Bernardo, da Ordem de Cister, com o sumptuoso túmulo do seu fundador; a Praça da República; a Galeria de S. Sebastião; os muitos Conventos, Igrejas e a sua Arte Sacra; as Casas Brasonadas, as chamadas casas solarengas, entre muitos outros locais onde se pressente a história secular da nossa cidade, a nossa alma e as nossas gentes, o nosso principal ativo, com o seu gosto em acolher.

A cidade de Portalegre é também pioneira na criação de áudio-guias turísticos, feitos com o objetivo de dar a conhecer o nosso território, de uma forma mais interativa e inclusiva, que podem ser consultados, gratuitamente, na aplicação izi.travel – em https://izi.travel/pt/845f-camara-municipal-de-portalegre/pt.

A gastronomia é, a par das paisagens ímpares, única, saborosa e com um caráter milenar: os seus pratos especiais, como a sopa de Tomate, sopa de Batata, Alhada de Cação, Sarapatel, sopa de Cachola, Migas variadas com carne de Porco frita, e muitos outros; os seus vinhos, diversos e com o sabor resultante das castas que crescem e desabrocham no nosso “terroir” muito especial; os azeites e outros produtos regionais típicos, de excecional qualidade, tais como os saborosos Doces Conventuais, únicos em todo o país: a Lampreia, o Queijo Dourado, os Fartes, os Rebuçados de Ovos, o Manjar Branco, o Toucinho-do-Céu; e ainda as tradicionais Amêndoas de Portalegre, os Bolos Fintos, as Boleimas, os queijos, os muitos enchidos.

Não podemos deixar de falar da cultura, um grande atrativo que leva muitos a deslocarem-se. Cidade de poesia e tapeçaria, quais as experiências culturais que Portalegre tem para oferecer?

A nível cultural, destaca-se o Centro de Artes do Espectáculo de Portalegre (com uma das melhores e mais vastas programações do Interior do nosso país), e vários eventos na nossa região, fruto de muito trabalho e dedicação: o Festival de Jazz, a Feira da Doçaria Conventual e Tradicional, as Festas da Cidade, a tradicional Feira das Cebolas ou a Feira de Vinho de Portalegre. A nível desportivo, Portalegre afirma-se como a Capital do Desporto Aventura, com condições naturais perfeitas para a prática de diversas modalidades, incluindo percursos pedestres e cicláveis na Serra Natural de São Mamede. As provas variam desde o BTT, a Baja Portalegre 500 até ao Ultra Trail de São Mamede e o Trilho dos Reis, modalidades que trazem a Portalegre atletas provenientes de todo o mundo.

Em termos museológicos, destacamos o Museu Municipal (que comemorou 100 anos em 2018); o Núcleo Museológico Emílio Relvas, dedicado ao Artesanato; a Casa – Museu José Régio (que em 2019 começou a evocar o cinquentenário da morte do grande poeta), com o espólio único e pessoal deste grande escritor, e as suas coleções de Arte Sacra e Artes decorativas; e o Museu da Tapeçaria de Portalegre-Guy Fino (um verdadeiro “ex-líbris” da cidade, com as tapeçarias conhecidas em todo o mundo pela sua técnica).

Sobre este autor

Jorge Teixeira

Adicionar Comentário

Escrever comentário