Destaque Turismo

Gavião, um Alentejo diferente

Com quatro freguesias – Belver, Comenda, Margem e União das Freguesias de Gavião e Atalaia, o município de Gavião autointitula-se com orgulho de “Um Alentejo diferente”. Numa visita a este Alentejo tão singular, o pontapé de saída é feito na Praia Fluvial do Alamal. O passeio faz-se perto de encostas abruptas, ao som de aves e das águas das ribeiras que desaguam no Tejo, mas há muito mais para conhecer no Gavião.

Do Tejo ao imponente Castelo de Belver, como podemos caracterizar o concelho de Gavião?

As freguesias que compõem o município são diferentes umas das outras, e por isso o trabalho que temos feito para dinamizar as localidades não tem sido igual. Para além das potencialidades já exploradas, há ainda muito mais para explorar.

Efetivamente somos “Um Alentejo Diferente” também por essa razão. Cada uma das nossas freguesias é completamente diferente da outra, complementando-se de forma harmoniosa nos seus contrastes.

Com uma Geografia muito diversificada e contrastante de paisagens multifacetadas há, no entanto, uma homogeneidade de alma humana: as gentes são de boa feição e de sublime beleza nos afetos.

Se em Belver se respira história, monumentalidade, o Castelo, os Museus, onde o Rio Tejo se impõe serpenteando por vales imensos, temos a freguesia de Comenda com as suas planícies alentejanas onde o Montado, e os vestígios Romanos são uma realidade indesmentível, depois temos a freguesia de Margem onde a ruralidade é a imagem de marca, o regadio tradicional a cultura do feijão frade são algo de que os habitantes não abdicam, resta-nos a União de Freguesias de Gavião e Atalaia a mais populosa e onde a identidade das outras 3 se mistura de forma agradável e homogénea.

Todas diferentes, todas iguais, sendo que o município de forma a divulgar as potencialidades de cada uma organiza uma Festa que respeita a sua identidade assim: Em junho, em Belver temos a Feira Medieval, em julho no Gavião a Mostra de Artesanato Gastronomia e Atividades Económicas, em agosto na Comenda o BEATFEST ou Festa da Juventude, em setembro em Margem a Festa do Feijão Frade.

Recentemente requalificado, que experiências tem o passadiço do Alamal para oferecer aos seus visitantes?

O Turismo é um pilar na evolução da economia que precisa de renovar as metas do seu crescimento para assegurar e maximizar a sua contribuição para o bem-estar social. Desejamos construir as bases de um modelo turístico que potencie o equilíbrio entre residentes e visitantes, preservando os modelos de identidade e de convivência no concelho, bem como estabelecer as participações a levar a cabo pelos diferentes agentes públicos e privados por forma a garantir a sustentabilidade e continuidade de maior procura turística.

O passadiço do Alamal pela sua localização sobre o Rio Tejo, sempre com o Castelo e a vila de Belver no campo visual, desfrutando desta paisagem maravilhosa, podendo observar uma fauna e uma flora riquíssima, é o local ideal para recuperar energias e aliviar todo o stress acumulado. Neste momento encontra-se em obra o prolongamento deste percurso por mais cerca 5 Kms, fazendo a ligação ao PR2.

Para terminar a longa caminhada pelos passadiços, passa a ser quase obrigatório uma passagem refrescante pela praia fluvial do Alamal?

Quem aprecia praias fluviais não pode deixar de conhecer este magnífico espaço na margem esquerda do Tejo, local de excelência onde o campo se mistura com o rio numa parceria abençoada pela natureza.

Aqui para além do Alamal River Club, alojamento local com 20 quartos pode refrescar-se, almoçar ou jantar no bar do Alamal. Pode ainda beneficiar do extenso areal e de alguns divertimentos aquáticos que as empresas aí sedeadas dispõem.

Pode ainda levar a sua merenda e usar o parque aí existente, onde as condições permitem o fruir de um dia de Praia/Campo com toda a tranquilidade.

Que roteiro recomendaria a quem escolhe Gavião para descansar uns dias? O que visitar e que especialidades gastronómicas não podem faltar nessa experiência?

Depois de estar alojado num dos muitos “alojamentos locais” existentes por todo o concelho ou no recém-inaugurado EcoGlamping “Gavião Nature Village”.

Vamos começar pela lindíssima vila de Belver, o Museu do Sabão, o Castelo, o caminho da Fonte Velha e o Museu das Mantas são locais imperdíveis. Para almoço um dos restaurantes de Belver, onde o peixe do rio, grelhado ou frito acompanhado de uma açorda de ovas, tem de ser rei.

De seguida atravessamos a ponte sobre o rio Tejo e percorremos o passadiço até ao Alamal e desfrutamos de tudo aquilo que o espaço nos pode oferecer, incluindo um jantar a ver passar o comboio na linha da Beira Baixa.

No segundo dia vamos para a natureza e qualquer um dos PRs existentes é uma boa opção, dia em que é preciso levar a merenda, com pão, enchidos regionais, queijo, e outros produtos alentejanos.

No terceiro dia iremos visitar Vale de Gaviões onde podemos ver o local onde está sepultado Mouzinho da Silveira, o regadio tradicional e talvez adquirir um dos produtos mais apreciados na região, o feijão frade de Margem.

De seguida deslocamo-nos para a freguesia da Comenda, e será na Ribeira da Venda e no seu parque de Merendas que teremos o almoço a que se seguirá uma tarde de lazer e descanso, usufruindo do magnífico espaço e das piscinas existentes.

No quarto dia voltar à natureza e ao observatório Avifauna dos Outeiros e aproveitar para em Domingos da Vinha visitar o Museu do Pão e do Vinho.

A seguir ao almoço podemos voltar ao Alamal e fazer um passeio de barco no Tejo observando nas suas escarpas os grifos e com alguma sorte nas margens lontras e outros animais.

No quinto dia porque não uma visita ao Gavião Nature Village, podendo sob marcação prévia fazer uma viagem de balão de ar quente, ou ter uma experiência inesquecível no SPA da unidade. Na parte da tarde visitamos a sede de concelho, onde a Igreja Matriz, o largo do Município, o Jardim do Cruzeiro, e os miradouros são locais que merecem ser visitados e fotografados.

Ao longo destes dias fomos sempre degustando os pratos tradicionais onde temos de destacar, as migas de feijão com couve com bacalhau assado, o javali no forno ou guisado, os maranhos à Belver, o cozido à portuguesa, o ensopado de borrego, o sarapatel e tudo o mais que a excelente gastronomia nos oferece, nos muitos restaurantes locais. Porque somos gulosos e não passamos sem um doce, provámos o bolo de mel, as fofas, as cavacas de Belver, o arroz doce, a tigelada da Beira etc.

Comprámos também algumas coisas, enchidos de margem, artesanato, os célebres imanes para o frigorífico, bolinhas de sabão, sabonetes, porta chaves e carteiras, mas sobretudo adquirimos vontade de voltar.

5. O Município tem promovido alguns eventos, workshops e sessões de esclarecimento sobre empreendedorismo. Quais os principais atrativos para quem considere investir em Gavião?

A interioridade, a desertificação, a falta de emprego e o envelhecimento progressivo das nossas populações, são problemas que os autarcas não conseguem controlar.

É fundamental para o desenvolvimento sustentado do concelho de Gavião o aparecimento de algumas empresas com capacidade empregadora. Temos uma zona industrial onde os terrenos são praticamente oferecidos, devidamente infraestruturados, mas nem assim conseguimos fixar empresários.

Não aplicamos derrama, temos a Taxa de IMI mais baixa possível de ser praticada, devolvemos os 5% do IRS que cabiam ao município aos Munícipes recenseados no concelho, atribuímos a todas as crianças até aos 3 anos de idade uma prestação pecuniária nos termos do regulamento em vigor, atribuímos bolsas de estudo a todos os estudantes do ensino superior com residência no concelho, apoiamos os jovens na aquisição de casa própria, pagamos as refeições a todas as criações do pré-escolar e 1º ciclo que frequentam o Agrupamento de Escolas.

Respondendo agora mais diretamente à pergunta que me faz, e dando corpo à nossa estratégia de desenvolvimento e criação de emprego, criámos o Gabinete de Apoio ás Empresas de Gavião que tem desenvolvido um trabalho bastante significativo nesta matéria. Desde logo e permito-me referenciar a proximidade com todos os empresários e agentes económicos do concelho, a criação do Regulamento de Apoio Municipal ás Empresas e não menos relevante a dinamização do Gabinete de Inserção Profissional que em conjunto com o IEFP de Ponte de Sor tem contribuído para a minimização do desemprego no concelho.

6 Mensagem final:

Desde a primeira hora que a minha grande preocupação foram as pessoas, daí o slogan de campanha que tenho utilizado “Um Presidente Perto de SI” pelo que sempre tentei pugnar por projetos que realmente fossem uma mais-valia para as populações de todas as freguesias do Concelho e não apenas da vila. Agora, com a maioria das obras estruturantes já em curso, o nosso foco será a criação de emprego e a fixação de população.

Sobre este autor

Jorge Teixeira

Adicionar Comentário

Escrever comentário