Empreendedorismo Turismo

Esposende é ponto de passagem e de permanente regresso

O Caminho Português da Costa para Santiago de Compostela é um legado que remonta ao século XV, mas revitalizado pela ação conjunta de dez municípios, proporcionando o crescimento da procura que se traduz em benefícios para o turismo. Em tempos de reencontro com a natureza no seu estado mais puro, de sentir a maresia na face, Esposende desperta a memória e quem por lá passa acaba por regressar.

Ao conceito de mobilidade suave, Esposende acrescenta o epíteto de cidade-museu. Inúmeras obras de arte pontificam a cidade, catálogo que ficará enriquecido com criações artísticas, cuja temática assentará nas peregrinações (sobressaem elementos como vieiras, bordões, chapéus de peregrinos, frases emblemáticas, etc.), integrando o projeto “Arte no Caminho”, cuja ideia pretende criar espaços com arte, ao longo do Caminho de Santiago.

Em Esposende, o Caminho Português da Costa para Santiago de Compostela é marcado por fantásticas paisagens costeiras ou rurais, gastronomia tradicional onde sobressaem os pratos de peixe e pores-do-sol inesquecíveis. As tradições, o artesanato, a gastronomia, a náutica ou a arquitetura modernista são lembretes a colocar na agenda para um futuro regresso a Esposende.

No concelho de Esposende encontramos dois itinerários para Compostela: o mais antigo, de fundação romana, que provém de São Pedro de Rates, atravessa solo rural atéàBarca do Lago, em Fonte Boa, Esposende. Atravessando o rio Cávado na barca (réplica da embarcação medieval, manobrada pelo antigo atleta olímpico de canoagem, Belmiro Penetra), segue-se pela encosta da arriba fóssil.

O segundo itinerário bordeja a costa, por entre os moinhos de vento alinhados na praia de Apúlia, prossegue com a prova obrigatória das Clarinhas, na vila de Fão e a visita à Capela dos Mareantes, na cidade de Esposende. Por trilhos que privilegiam o contato com a natureza, em pleno Parque Natural do Litoral Norte, o Caminho prossegue até à travessia da divisória natural com o concelho de Viana do Castelo: o rio Neiva.

Em todo o concelho, os peregrinos encontram uma vasta rede de suporte às suas necessidades. Desde o apoio logístico, centralizado no Ponto de Apoio ao Peregrino e no Centro de Informação Turística, até à oferta para pernoitar, com hotéis, alojamentos locais e hostels e o Albergue de S. Miguel de Marinhas que está a celebrar o 10.º aniversário e já acolheu perto de 28 mil peregrinos, desde a sua inauguração, em maio de 2011, maioritariamente estrangeiros e oriundos sobretudo de países como a Alemanha, Espanha, Polónia, França e Itália.

Sobre este autor

Jorge Teixeira

Adicionar Comentário

Escrever comentário