Educação

Colégio Helen Keller: Uma nova imagem, a mesma essência

Poucas alturas terão sido tão desafiantes para as instituições de ensino como estes dois últimos anos. Os constantes cuidados a ter para prevenir a propagação da pandemia e os sucessivos confinamentos vieram dificultar a vida de alunos, professores e toda a comunidade educativa em geral. Apesar de tudo isto o Colégio Helen Keller, em Lisboa, conseguiu adaptar-se e até mesmo reinventar-se. Neste texto falam-nos da nova imagem oficial, mais moderna, do grande investimento que foi feito nos seus excelentes espaços exteriores, e de outras novidades que projetam um futuro promissor.

A atualidade trouxe-nos tantos e tão inesperados desafios que todos, em qualquer contexto, tivemos que nos reajustar, adaptar, reinventar… A escola em geral, e o Colégio Helen Keller (CHK) em particular, não foi exceção!

A alteração da imagem oficial, nomeadamente através da modernização do logotipo e consequente imagem em geral, não se apresentou como ato isolado. Aproveitando a enorme extensão de espaço exterior que temos, criámos diferentes espaços que viabilizam a aprendizagem no exterior estreitando assim os laços entre a aprendizagem, a natureza, o bem-estar dos alunos e, claro, o acautelar das necessárias medidas de proteção e segurança dos tempos que vivemos. Ultrapassado este capítulo menos bom da nossa atualidade, iremos manter e continuar a investir nestes espaços, como forma de diferenciar e potenciar a aprendizagem.

Este investimento nos espaços exteriores não se prendeu apenas com a criação de ambientes de aprendizagem académica. Aproveitámos também para diversificar e criar contextos em que as crianças e alunos se sentissem bem e felizes na escola, contrariando as tendências vividas em sucessivos confinamentos e isolamentos. Desde paredes de escalada horizontal, à criação de jogos de exterior / recreios, reestruturação de espaços de lazer e convívio para os alunos mais velhos, melhoramento dos espaços de brincadeira e descoberta dos mais pequenos… tudo tem sido pensado no sentido de potenciar a socialização e o bem-estar de todos os que nos escolheram.

Também no sentido de valorizarmos a oferta formativa, contribuindo para uma formação holística dos nossos alunos, futuros cidadãos que se pretendem plenos, conscientes e ativos, reorganizámos os currículos escolares e criámos novas ofertas que, por um lado vão ao encontro dos interesses e motivações dos alunos e, por outro, contribuem para o desenvolvimento de algumas competências que serão fundamentais num futuro próximo. Um futuro incerto, é verdade, mas garantidamente muito mais focado nas competências de adaptação a diferentes contextos, interpretação e resolução de situações problemáticas, capacidade de transpor o abstrato para o concreto. Sempre alicerçadas em boas capacidades comunicativas e relacionais. Mais do que dominar um conjunto de saberes técnicos, os atuais alunos necessitarão de ferramentas que os ajudem a adaptar-se ao desconhecido.

Assim, continuamos a valorizar o recurso às novas tecnologias (não como substitutos mas como recursos adicionais), às línguas estrangeiras, às relações interpares (mesmo de diferentes anos / ciclos). Acrescentámos ainda os ateliers temáticos para o 1º ciclo (além do Braille que já tínhamos); as oficinas de teatro e a MatematicaMente para o 2º ciclo; existindo também um reforço da parte experimental e investigativa (através da participação em diversos projetos).

Este é um caminho que, a par com o que já fazíamos e que de muito nos orgulhamos, vamos continuar a fazer.

Sobre este autor

João Malainho II

Adicionar Comentário

Escrever comentário