Tecido Empresarial

Inovação e vanguarda na ordem do Ave

Em Ribeirão, Famalicão, há um agrupamento de empresas dedicado à remoção de materiais que contêm amianto e ao fabrico de unidades de descontaminação. A Amiave, Lda. e a Inave, Lda., que pertencem ao Agrupamento Espaços Ave A.C.E., somam criações e patentes que as fazem entrar em mercados exigentes, como o de França.

Já alguma vez viu uma unidade de descontaminação de amianto? Para o comum mortal pode parecer um mero contentor pré-fabricado, daqueles que se vê na construção civil ou num festival de verão, mas por dentro é tudo menos banal. As unidades de descontaminação estão segmentadas em três compartimentos de forma a que o trabalhador que esteja exposto ao amianto, sempre que faz uma pausa durante o turno de trabalho ou no final de cada turno, cumpra todos os procedimentos de descontaminação pessoal.

No caso da Inave, Lda., não só desenvolvem e comercializam essas unidades, como até têm a patente (Modelo de Utilização n.º 11429). Por exemplo, desenvolveram uma unidade que se adapta ao chassis de uma carrinha e cuja versatilidade (uma das) é o facto de poder ser facilmente colocada em locais adjacentes à cobertura de um prédio com o auxílio de uma grua, de modo a que o itinerário entre a unidade e a zona de intervenção seja o mais curto e direto possível, explicou a engenheira Eva Vieira, Técnica Superior de Segurança no Trabalho do Agrupamento. Esta solução específica é da autoria da Inave, Lda. que, para além desta, apresenta outras unidades com dimensões que vão desde os 2,40 metros até aos 3,5 metros. Nesta última opção a unidade poderá ser dotada de instalação sanitária química. “Onde inovámos mais foi na criação do nosso depressor indicado para filtrar o ar contaminado com amianto através de um sistema de pressão negativa, regulável, entre -5 a -100 Pascal [unidade de medida de pressão] em combinação com um sistema de filtração em duas fases (pré filtro e filtro HEPA H13) Temos, também um pressostato (instrumento de medição de pressão) que torna possível a verificação da pressão instantânea”, explicou o doutor Luís Moreira, responsável pela Inave, Lda.

O depressor começou a ser desenvolvido no final de 2016, apesar de já existir em alguns países europeus. No entanto, é importante destacar que, por exemplo, “na Alemanha e em França este equipamento apresenta um preço elevado. A Inave, Lda. dispõe de várias gamas de produtos a preços competitivos”, continuou o engenheiro Bruno Moreira, responsável pelo departamento de produção do Agrupamento.

Perceber o que a Amiave, Lda. e a Inave, Lda. fazem é perceber aquilo que foi a evolução natural da primeira empresa deste agrupamento de Ribeirão. Em 2011 nasceu a Prediave – Construções, Lda., dedicada à construção e reabilitação. Três anos mais tarde surgiu a Edificave, Lda. (compra, venda e arrendamento de imóveis). Em 2015, de forma a complementar o serviço da Prediave – Construções, Lda. na remoção de amianto, criou-se a Amiave, Lda., com uma equipa técnica certificada e especializada na remoção com amianto, bem como aluguer de equipamentos necessários neste tipo de trabalhos, venda de EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual) e transporte de resíduos para vazadouro. Dois anos mais tarde, ganharam corpo na Inave, Lda. as inovações entretanto feitas, aliadas ao know-how no fabrico de estruturas metálicas e revestimento de coberturas e fachadas. Em 2018 agruparam-se nos Espaços Ave A.C.E.

Podem parecer poucos anos de vida, mas são mais que suficientes para se terem conseguido estabelecer e crescer, ao ponto de até venderem unidades de descontaminação de amianto para França, um dos países europeus onde a lei de remoção de amianto é mais exigente. “Estamos a desenvolver uma unidade mais evoluída, autónoma, constituída por cinco compartimentos, destinada aos trabalhos de remoção de amianto friável” prosseguiu Luís durante uma visita à unidade industrial da Inave, Lda.

As unidades são desenvolvidas pela equipa de investigação e desenvolvimento da Inave, Lda. “Todas as unidades rebocáveis são matriculadas, têm registo e documento único, à semelhança de veículo automóvel. É uma vantagem em relação às concorrentes”, salientou Luís Moreira.

Ainda sobre a temática da descontaminação, verificando-se a necessidade de limpeza das unidades de descontaminação e de todos os equipamentos utilizados nos trabalhos de remoção de materiais que contêm amianto, foi apresentado um pedido que proporciona um sistema de limpeza, com a referência DP/02/2017/43781 (Modelo de Utilidade Nacional n.º 11336), que se encontra em análise final.

Com o aumento do volume de trabalho e das exigências do mercado internacional, a Inave, Lda. vê-se na necessidade de aumentar a sua área de produção “para aumentar a capacidade de produção, qualidade e para solidificar a entrada noutros mercados”, continuou o responsável.

Para quem quer um produto com o know-how estrangeiro e inovação portuguesa, com a “relação qualidade/preço muito superior à concorrência”, avisou Luís, já sabe: está tudo no Ave.